Alternativas ecônomicas para uma sociedade mais justa e sustentável

Alternativas ecônomicas para uma sociedade mais justa e sustentável

Anonymous (não verificado)

Nelsa Inês Fabian Nespolo foi homenageada como uma agente de mudança na campanha ChangemakeHERS, uma celebração as mulheres mais influentes e inspiradoras do mundo. Convidamos você a conhecer aqui outras empreendedoras sociais em destaque<www.changemakers.com/blog/pt-br...>.

escrito por Nelsa Inês Fabian Nespolo, Diretora-presidente da Cooperativa Central Justa Trama

Ser uma empreendedora social é transpor para a realidade um sonho que parecia impossível. É construir possibilidades coletivas que melhorem a vida das pessoas. Nos dias de hoje, temos muitos desafios e, um deles, é se contrapor a um sistema que incentiva soluções individuais, inclusive no mundo do trabalho, e apresentar e vivenciar soluções coletivas, como acontece na economia solidária.

Acredito que é importante construirmos alternativas que busquem o resgate da inclusão das pessoas. Essa pode acontecer de várias formas, mas algumas ações com este fim podem ser temporárias. O atual momento brasileiro chama a atenção para ações de inclusão. Devemos nos ater a isso, porém, é importante que essas ações nos levem a um caminho de inversão econômica, pois só assim teremos soluções a longo prazo.

Está colocado o grande desafio: juntar ideias, criar tecnologias sociais e fazer diferente. Muitas vezes, isso parece o caminho inverso do sistema que vivemos. Hoje as maiores e melhores inovações são as que preservam o meio ambiente e as que provocam justiça social com distribuição de renda.

É importante replicarmos as experiências que existem neste sentido, pois elas provocam e fazem as pessoas refletirem e acreditarem que a possibilidade existe e que cada um pode fazer a sua parte. Quando isso acontece de forma coletiva, sempre provoca um impacto muito maior. E não dá para ficar indiferente. A partir desse sentimento, é necessário adaptar suas ideias para a realidade onde cada um está, não desanimar nunca, persistir sempre e estar junto de quem realmente acredita no projeto.

Nós, mulheres, temos um desafio em especial. Devemos acreditar quando nos dizem que podemos fazer várias coisas ao mesmo tempo. Entretanto, não devemos usar isso para gerar mais riqueza para os que já acumulam demais. E sim valorizar a nós mesmas e colocar nossa energia para engajar mais homens e mulheres neste movimento, pois este mundo precisa de um cuidado especial. A natureza grita e nos pede isso. A desigualdade social no mundo precisa de ações de inversão, onde as pessoas tenham mais que comida e bebida. Todos merecem uma vida com dignidade, e não há dúvida que as mulheres têm um papel especial nisso, sem contar nossa capacidade de convencimento de novas pessoas para essa grande luta que nos desafia.

★★★

Nelsa Nespolo é costureira, empreendedora social e diretora-presidente da Cooperativa Central Justa Trama, a primeira e maior rede que trabalha a cadeia produtiva do algodão agroecológico. Atualmente, ela envolve mais de 700 trabalhadores em quatro regiões do Brasil. Nelsa é também diretora de setoriais da Unisol Brasil - Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários.