Agora Juntas

Agora Juntas: Um hub colaborativo para a sociedade civil feminista no Rio de Janeiro, Brazil

Rio de Janeiro, Brazil
Ano em que foi fundado:
2015
Tipo de organização: 
Sem fins lucrativos / ONG/ Setor Civil
Estágio do Projeto:
Start-Up
Orçamento: 
$10,000 - $50,000
Scaling strategies launched within the past 6 months:
Crescimento organizacional
Resumo do projeto
Pitch de Elevador (Explicação curta e direta)

Resumo conciso: Ajude-nos a lançar esta solução! Forneça uma explicação dentro de 3-4 frases curtas.

Agora Juntas é o movimento de diversos grupos de mulheres para criar uma casa colaborativa feminista que funciona a partir da participação horizontal e colaboração consciente, e age como um potencializador de todas as mulheres, fortalecendo a participação e seus direitos na sociedade.

E SE... - Inspiração: Escreva uma frase que descreve uma forma que seu projeto se atreve a perguntar: "E SE?"

E se a economia colaborativa fosse uma ferramenta para avançar os direitos das mulheres e conectá-las? E se elas pudessem ter um espaço de livre criação e empreender novos projetos para afirmar e fortalecer os direitos das mulheres?
SOBRE O PROJETO

Problema: Este projeto busca solucionar qual problema?

Existe um problema muito sério na sociedade quando as mulheres são ensinadas, desde crianças, que elas não podem participar em vários espaços ou em várias atividades por serem meninas. Ao longo das suas vidas, elas acabam sendo marginalizadas ou excluídas de vários setores, e elas não recebem seus plenos direitos e merecido respeito em outros espaços que elas ocupam. Elas não podem participar plenamente na sociedade como cidadãs.

Solução: Qual é a solução proposta? Por favor, seja específico!

Acreditamos que fortalecer a sociedade civil liderada por mulheres será a melhor e mais sustentável forma de conquistar mais direitos das mulheres. Os melhores agentes de mudança para a situação dos direitos das mulheres são as próprias mulheres. Nós queremos construir um hub para as mulheres e a sociedade civil feminista do Rio de Janeiro e da região metropolitana. Uma plataforma para que elas possam agir para garantir seu direito à cidade, um espaço onde elas sejam autônomas e protagonistas, colaborando com outras mulheres e aprendendo sobre realidades novas e diferentes. A sociedade civil é quem tem maior capacidade de entender suas próprias comunidades e necessidades, portanto trará inovações sociais voltadas às mulheres.
Impact: How does it Work

Exemplo: Compartilhe um exemplo específico de como essa solução faz a diferença, inclua situações práticas.

O Catete92 era uma casa colaborativa aberta que existiu no Rio de Janeiro de 2014 a 2015. Funcionava a partir da contribuição consciente, onde as pessoas contribuíam dinheiro espontaneamente, por uma ferramenta online chamada Recorrente, ou com talentos ou tempo pelo uso livre da casa. A casa não tinha nenhum 'dono', e todos podiam participar na programação e na evolução do espaço. Era uma casa de livre criação e uso, o que facilitou um ecossistema de microempreendedores, pequenas ONGs, e trabalhadores autônomos a florescer. A casa incentivou muitas pessoas a criarem seus propios projetos, que acabavam muitas vezes tendo um proposito social ou pelo bem-estar social.

Impacto: Qual tem sido o impacto do seu trabalho até hoje? Descreva também o impacto esperado para o futuro do projeto.

Considerando que a ideia foi lançada formalmente apenas esse ano, já temos dezenas de parcerias porque entramos em contato e convidamos especialmente várias redes de mulheres, empreendedoras, e coletivos feministas a criar a casa conosco. Além disso, saímos a procura constantemente de novas integrantes e realizadoras - promovemos mais de 6 eventos públicos sobre feminismo que atraíram mais de 2000 pessoas em 4 bairros pelo Rio de Janeiro nos últimos meses. Nossa rede no Facebook e Instagram tem mais de 1600 seguidores no total. Uma mulher que respondeu a nossa pesquisa disse do sonho dela pela casa, 'Sendo um espaço de mulheres para mulheres, o acolhimento e a troca tornam-se os focos primordiais para a luta, criação e enriquecimento diário na mudança dos paradigmas machistas da sociedade. Todas juntas e aprendendo somos mais fortes!'

Estratégias de Expansão: Avançando o projeto, quais são as principais estratégias para ampliar o seu impacto?

Estamos no processo de levar o projeto a uma incubadora no Rio de Janeiro, para receber uma mentoria estratégica e evoluir o projeto para entrar na fase piloto. Durante o processo de incubação, queremos criar nosso website interativo e colaborativo junto a nossas parceiras feministas, finalizar nosso ecossistema colaborativo e estruturar nosso plano de sustentabilidade financeira pelos próximos anos. Sendo incubadas, a gente vai poder trabalhar mais nas parcerias, na pesquisa de construção da casa e em eventos para visibilizar o projeto Agora Juntas.
Sustentabilidade
Financiamento: Como o seu projeto está sendo apoiado financeiramente?: 
outro - 100%

Plano de Sustentabilidade Financeira: Qual é o plano para garantir a sustentabilidade financeira do projeto?

Um sistema de financiamento colaborativo é necessariamente mais complexo e dinâmico, então a gente pretende entrar em uma incubadora para desenvolver um sistema que considera os riscos e as realidades financeiras das 126 mulheres que responderem a nossa pesquisa para construir esse sistema. Depois vamos criar um crowdfunding (Benefeitoria & Yousers) para cobrir os custos do investimento incial (~50 mil reais) e poder abrir a casa.

Mercado ou Setor: Quais projetos ou organizações estão solucionando o mesmo problema que você e como essas propostas diferem da sua?

A Iniciativa de Inovação da Sociedade Civil (CSII), financiada pela USAID e SIDA, também propõe construir hubs de sociedade civil e inovação pelo mundo. Esses hubs serão construídos por atores influentes da sociedade civil em 10 cidades. Essa iniciativa é recente, portanto ainda não está decidido se os hubs serão virtuais ou físicos. Nossa proposta é a criação de um hub físico, visto que o movimento feminista precisa cada vez mais sair da internet, e especificamente tem a perspetiva de gênero e direitos das mulheres no coração do hub.
Equipe

História de fundação

A Ani Phoebe, antropóloga, esteve pesquisando sobre coletivos de jovens feministas que mobilizam prol direitos reprodutivos em 2015 e percebeu que nenhum tinha nem dinheiro nem espaços seguros para se organizarem. Muitos desses coletivos encontravam problemas dentro das faculdades ou colégios deles para organizar palestras ou reuniões abertas devido a polêmica natura do tema e preconceito contra o feminismo. Naquela época, a Ani estava trabalhando dentro de uma casa colaborativa, Catete92, onde ela realizou várias dessas entrevistas más também encontrou um ambiente totalmente acolhedor, horizontal, e criativo. Ela percebeu que muitas outras mulheres precisam daquele ambiente, e teve a ideia para criar o Agora Juntas com as mulheres dali.

Equipe

Temos um núcleo de aproximadamente 14 mulheres trabalhando no projeto no dia-a-dia, um grupo privado no Facebook para comunicação com nossa comunidade, uma página pública e Instagram, que atingem 1500+ mulheres. Além disso, criamos uma pesquisa, ativa até agora, que pede a participação de todas as mulheres no Rio de Janeiro e conta com as respostas de 126 mulheres até agora. Nossa equipe sempre está aberta, em expansão, e é horizontal.
Público Alvo:

Populações marginalizadas, Formuladores de Políticas Públicas, Jovens.

Outros (Por favor, especifique)

Mulheres: Negras, brancas, asiaticas, indigenas, pardas, maes, solteiras, jovens, estudantes, militantes, etc.

Foco de atuação:

Conscientização, Parcerias, Organização comunitária.

Outros (Por favor, especifique)

Ativismo, Direitos das Mulheres, Cultura, Empreenderismo

Inovação: O que faz que seu projeto seja inovador no setor de Direitos Humanos? (600 caracteres ou 100 palavras)

No setor de Direitos Humanos, os direitos das mulheres têm um histórico de ser menos valorizados que outros. Por exemplo, as organizações que são lideradas por mulheres e trabalham pelos direitos das mulheres são bem menos financiadas que outras organizações, segundo estudos de mais de 10 anos da AWID. Nós não estamos só comprometidas com o sucesso e a sustentabilidade das organizações das mulheres, mas também com todas as mulheres que trabalham de forma autônoma e não têm um lugar acolhedor e acessível para realizar seus sonhos. Queremos ser uma casa para as organizações e as mulheres que não têm condição financeira para trabalhar em outro lugar, mas também usar ferramentas da economia colaborativa para incentivar elas a se conhecerem e experimentarem mais com a colaboração e a construção coletiva. Será uma casa de construção e realização de ideias e sonhos de mulheres e trans de forma colaborativa, horizontal e humanista.

Conte-nos sobre as parcerias que apoiam o seu trabalho: (450 caracteres ou 75 palavras)

O Agora Juntas não existiria sem as parcerias com outros coletivos e organizações feministas. O propósito do projeto é criar conjuntamente com institutos, ONGs, coletivos, movimentos e quaisquer grupos que apoiem os direitos das mulheres. Hoje em dia, já contamos com uma dezena de parcerias. Esses grupos feministas são a base da casa, são eles que convidariam mulheres para participar no projeto da casa. Nossas parceiras incluem: Feminicidade, Mulheres Mobilizadas, Matriarca, Transborda92, Coletivo Trama, Círculo de Mulheres RJ, Juntas, Casa da Juventude, Bike Anjo, etc.

Políticas Públicas: De que modo você está contribuindo ou pensa em contribuir com no âmbito de políticas públicas? (300 caracteres ou 50 palavras)

A casa será um ponto importante para a construção do movimento feminista e assim pode servir como uma referência para diálogo político, ampliando e aprofundando a participação feminina na construção de políticas públicas. Já realizamos eventos promovendo diálogo político com essa consciência. Por exemplo, a realização do Dia de Feminismo e Gênero, um evento que atraiu mais de 1000 visitantes de todo Rio de Janeiro. Dentro de nossa programação intensa houve um debate sobre as políticas públicas com a perspetiva de gênero com as políticas Marielle Franco e Heliene, e com as jovens mulheres que vieram para o evento.

Novas tendências: Além de seu projeto, que fatores, mudanças ou sucessos você acredita que poderiam ter uma forte influência no avanço dos Direitos Humanos? (600 caracteres ou 100 palavras)

Acreditamos que o futuro é de potencialização da nossa articulação, não apenas como reação às forças conservadoras e antidemocráticas que estão em ascensão no Brasil, mas como resultado da consolidação do ideário feminista como necessário, urgente e positivo para todos, quebrando pouco a pouco os preconceitos ainda presentes contra o movimento e criando uma nova imagem para o feminismo. O feminismo brasileiro precisa conquistar espaços para si que proporcionem o diálogo entre mulheres de contextos diferentes (classes sociais, locais de moradia, etnias, idades, profissões diversas). O momento é de romper as “bolhas” entre os diferentes segmentos sociais, nos unir e, juntas, levar as pautas de todas, principalmente das mulheres mais marginalizadas.