Casa da Mãe Joanna #CDMJ

Casa da Mãe Joanna #CDMJ: Comunicação e educação feminista sobre gênero.

BrasilBrasil
Ano em que foi fundado:
2015
Tipo de organização: 
Híbrida
Estágio do Projeto:
Start-Up
Scaling strategies launched within the past 6 months:
Treinamento, consultas
Outros
Resumo do projeto
Pitch de Elevador (Explicação curta e direta)

Resumo conciso: Ajude-nos a lançar esta solução! Forneça uma explicação dentro de 3-4 frases curtas.

#CDMJ é uma empresa que oferece comunicação e educação feminista sobre gênero. Nossos serviços: palestras, oficinas, cursos, consultoria de marketing. O blog captura pensamentos atuais sobre pautas feministas, e sua relevância social. Nós explicamos gênero e feminismos.

E SE... - Inspiração: Escreva uma frase que descreve uma forma que seu projeto se atreve a perguntar: "E SE?"

E se as pessoas finalmente entendessem que feminismo e teoria de gênero tratam de direitos humanos?
SOBRE O PROJETO

Problema: Este projeto busca solucionar qual problema?

Existe ainda muito obscurantismo acerca de feminismo e gênero. Dentre outras coisas, isso impacta o trabalho próprio feito por feministas, que tende a ser desafiado e marginalizado. Gênero tem recebido atenção; mas questões semelhantes permanecem: confusão acerca dos termos e objetivos, simplificação de análises, disputas narrativas. #CDMJ visa oferecer um panorama do pensamento feminista atual, de vozes diversas.

Solução: Qual é a solução proposta? Por favor, seja específico!

#CDMJ publica autoras de várias correntes do feminismo brasileiro atual, e o blog está aberto para abordagem de todos os temas pertinentes ao movimento, sem censura e silenciamento, e fomentando o diálogo. Os serviços, fundamentados nos debates teóricos entre perspectivas, vão de palestras a livretos a treinamentos. O impacto positivo é mais visível nos grupos de Facebook, que prezam o debate exercitando a comunicação não-violenta e a escuta generosa, a empatia e a compaixão. Parece funcionar. Nos grupos, crescemos de 50 em maio de 2015 para mais de 5K. O site, no ar desde outubro, publica regularmente e cresce em leitoras. A #CDMJ, com critério na seleção de conteúdo e método, cria assim comunicação e educação feminista sobre gênero.

Prêmios

Mulheres Inspiradoras de 2015 da Think Olga
Impact: How does it Work

Exemplo: Compartilhe um exemplo específico de como essa solução faz a diferença, inclua situações práticas.

Em janeiro deste ano o ACNUR Brasil nos selecionou para produzir um livreto sobre a legislação brasileira de violência de gênero direcionado a homens refugiados e solicitantes de refúgio. O desafio era apresentar as informações sem colonizar, nem ameaçar narrativas de masculinidade. Evidentemente era crucial não negligenciar a delicada posição subjetiva do refugiado. Juntamos um time de designers, ilustradores, roteiristas e consultores especializados e criamos um HQ cujo personagem (um refugiado no Brasil) navega situações em que se depara com contrastes culturais, mas com suporte e informação, assimila os costumes e as leis em sua jornada de adaptação. O projeto está em fase de impressão e o plano é que seja lançado ainda em 2016.

Impacto: Qual tem sido o impacto do seu trabalho até hoje? Descreva também o impacto esperado para o futuro do projeto.

Compreensão acerca do feminismo e da teoria de gênero. Iniciei o projeto com este objetivo, que permanece, e o iniciei na internet, como grupo, por estar conectada a muitas interessadas em feminismo e gênero e por preferir debater conceitos sobre gênero e/ou pensamentos feministas com interlocutoras interessadas (a, por exemplo, falar em textos sobre eles, ainda que para uma audiência engajada). A comunidade hoje é enorme: somos 5K nos três grupos vinculados à #CDMJ, o site vem publicando cerca de 20 posts por mês em 2016, já fizemos 2 e vamos para 3 cursos, participamos de 10 mesas e palestras, e produzimos podcasts sobre gênero, mídia e cultura, o Falo & Falo. Visamos profissionalizar nosso modelo de negócio, e para causar o impacto que queremos - colaborações com instituições e corporações - precisamos aprimorar nossos sistemas, produtos e serviços.

Estratégias de Expansão: Avançando o projeto, quais são as principais estratégias para ampliar o seu impacto?

Aprimoramento de sistemas, produtos e serviços. Fizemos uma marca forte, e é possível mantê-la numa transição. O objetivo é até Outubro de 2016, quando o site completa 1 ano no ar, repaginá-lo para configurar uma aparência mais direcionada a negócios (ainda que com uma estética radical) que demonstre a maturidade do projeto neste estágio. Precisamos de serviços de web e design, e formalizar a empresa e os produtos & serviços para oferta neste novo site. Fomos um experimento voluntário até agora, precisamos de um investimento inicial para "passar de fase".
Sustentabilidade

Plano de Sustentabilidade Financeira: Qual é o plano para garantir a sustentabilidade financeira do projeto?

O projeto sobrevive graças a configurações financeiras que me permitem trabalhar nele com exclusividade. Mas apenas temporariamente. Recebemos, até hoje, pagamentos por produtos e serviços prestados: livretos, oficinas e outros. Nosso modelo é experimental, mas e não nos opomos a que ele seja classificado como híbrido, ou totalmente novo. Estamos estudando a possibilidade de viabilizar um negócio cujo discurso é conhecido, mas pouco bem-vindo.

Mercado ou Setor: Quais projetos ou organizações estão solucionando o mesmo problema que você e como essas propostas diferem da sua?

ThinkEva: para empresas que buscam, através de marketing na mídia, se comunicar com mulheres. #CDMJ oferece serviços para empresas que buscam compreender e/ou explicar como gênero, discurso tão relacionado a feminismo e pertinente a todos (o que é "ter" um gênero? o que significa "ser" mulher?) afeta as relações sociais na pós-modernidade, em empresas, nas escolas, em casa. BlogueirasFeministas/NãoMeKhalo/ThinkOlga: todas diferentes entre si, #CDMJ difere de todas: (1) textos selecionados do Facebook (inclusive de comentários no grupo) e (2) textos mais focados na produção feminista própria.
Equipe

História de fundação

#CDMJ é o resultado de um contínuo de ideias que tive (a maioria em colaboração) ao longo dos cinco anos que precederam seu lançamento. A lâmpada acendeu quando entendi o Manifesto Ciborgue de Donna Haraway, que iluminar minha habilidade dialógica, e decidi repliquei uma versão ficcional e virtual da "sala de casa". Assim formam-se as bonitas redes de colaboração e trabalho (voluntário e pago) que fizeram a #CDMJ decolar. Mas ela ainda não é, e precisa ser 100% auto-sustentável. Este momento era previsto. A equipe que trabalhou desde o começo está disposta a ficar. Os relacionamentos com clientes e parceiros são sólidos. A marca é querida. Mas a hora é de posicionar-se como negócio - como empresa.

Equipe

A equipe que trabalhou desde o começo - eu, designer, webdesigner, ilustradores e consultores - está disposta a continuar (este edital veio de um membro de uma equipe de um projeto). Somos uma organização que opera mediante de projetos: equipes são formadas, através das nossas redes, para colaboração e trabalho (voluntário e pago), por projeto. Sendo assim, este é um projeto de expansão; é preciso financiar equipe e material que a permitam.
Público Alvo:

Jovens.

Outros (Por favor, especifique)

Estudantes, educadores, comunicadores, formadores de opinião, profissionais.

Foco de atuação:

Conscientização, Parcerias, Educação, Meio de Comunicação, Produtos ou serviços, Pesquisa e informação.

Outros (Por favor, especifique)
Inovação: O que faz que seu projeto seja inovador no setor de Direitos Humanos? (600 caracteres ou 100 palavras)

Acreditamos na inclusão. Somos feministas de raiz, mas não produzimos exclusivamente para mulheres. Prezamos o diálogo com escuta generosa e comunicação não violenta. Sabemos que discurso de ódio é diferente de liberdade de expressão, e não toleramos preconceitos e silenciamento. Preferimos aprendizagem a disputas narrativas. Nosso interesse não é oferecer a palavra final sobre nada, mas sim fomentar aprendizado e troca a partir do debate entre as muitas vozes que informam a produção democrática de conhecimento.

Conte-nos sobre as parcerias que apoiam o seu trabalho: (450 caracteres ou 75 palavras)

A Unisinos apostou nos nossos cursos antes mesmo do lançamento do site da #CDMJ, e é uma honra que tão prestigiada instituição seja nossa parceira. Líder de Si, em Florianópolis, também são excelentes colaboradores: sempre aprimoramos nossos métodos quando trabalhamos com eles. A Carta Capital foi importante para dar visibilidade nacional para a #CDMJ. O ACNUR confiou e aprovou o desafio que nos deu. Mas ainda assim, no que diz respeito a parcerias, a #CDMJ formou seus pequenos grupos de trabalho, e são estas as equipes que movem adiante a nossa produção.

Políticas Públicas: De que modo você está contribuindo ou pensa em contribuir com no âmbito de políticas públicas? (300 caracteres ou 50 palavras)

Informação. O Brasil - como o mundo, mas em suas peculiaridades - vive um fase política conturbada, e os direitos das mulheres estão ameaçados. Campanhas de conscientização, inclusive em parceria com empresas especializadas em petições, serão necessárias. Visamos iluminar estes debates com conhecimento prático e teórico. Já fizemos isso em relação a petições anteriores, e em campanhas contra a cultura do estupro e a favor da descriminalização do aborto.

Novas tendências: Além de seu projeto, que fatores, mudanças ou sucessos você acredita que poderiam ter uma forte influência no avanço dos Direitos Humanos? (600 caracteres ou 100 palavras)

Uma reversão da guinada à direita que o mundo parece estar enfrentando? Um milagre, nestes 29 de junho de 2016? Para pacifistas irremediáveis, há algo além de mobilização afetuosa acerca da troca generosa de conhecimentos e práticas? Minha honestidade crônica me impede de tentar previsões neste período histórico tão peculiar. Prefiro continuar acreditando na força das conexões permitidas pela internet, na esperança de que conhecimento seja mesmo poder. O feedback que recebo acerca do trabalho que venho fazendo neste sentido me encoraja a querer exponencializá-lo.