Conectar com Sabedoria

Conectar com Sabedoria: Proteção e bem estar de crianças e adolescentes na era digital

Curitiba, Brazil
Ano em que foi fundado:
2009
Tipo de organização: 
Sem fins lucrativos / ONG/ Setor Civil
Estágio do Projeto:
Estabelecido
Orçamento: 
$50,000 - $100,000
Scaling strategies launched within the past 6 months:
Crescimento organizacional
Parceria de larga escala
Organização de conferências
Treinamento, consultas
Federações, associações
Campanhas
Lobbying, alteração de políticas
Resumo do projeto
Pitch de Elevador (Explicação curta e direta)

Resumo conciso: Ajude-nos a lançar esta solução! Forneça uma explicação dentro de 3-4 frases curtas.

O desafio do Instituto Tecnologia e Dignidade Humana é desenvolver mecanismos práticos para proteção das crianças e os adolescentes na era digital, com ações de (in)formação para prevenir a dependência tecnológica e os crimes na internet, com foco no uso ético, saudável e seguro das tecnologias.

E SE... - Inspiração: Escreva uma frase que descreve uma forma que seu projeto se atreve a perguntar: "E SE?"

E SE CUIDARMOS DE NOSSAS CRIANÇAS NO MUNDO VIRTUAL ELAS ESTARIAM MAIS PROTEGIDAS DA DEPENDÊNCIA TECNOLÓGICA E DOS CRIMES NA INTERNET?
SOBRE O PROJETO

Problema: Este projeto busca solucionar qual problema?

O Projeto 'Conectar com Sabedoria' busca promover uma mobilização social, na família e na escola, para orientar pais e professores para assumirem a responsabilidade na condução do uso saudável e seguro das tecnologias de informação e comunicação por crianças e adolescentes. São realizados eventos de formação para trabalhar os impactos do uso das tecnologias digitais na saúde física e psicológica, aprendizagem, segurança e nas relações familiares.

Solução: Qual é a solução proposta? Por favor, seja específico!

A única solução para minimizar e prevenir a dependência tecnológica e os crimes envolvendo crianças e adolescentes é informando, formando e conscientizando pais e professores sobre os riscos e efeitos nocivos do uso inadequado das tecnologias digitais, e é essa a proposta do 'Conectar com Sabedoria'. Para que esses assumam de uma vez por todas a condução do processo de inclusão no mundo virtual das crianças e dos adolescentes. Caso contrário, estarão vulneráveis aos riscos na saúde física (sedentarismo, lesão por esforço repetitivo), na saúde psicológica (adição à internet), na aprendizagem (desatenção, falta de concentração), na segurança (aliciamento online), como exemplos de malefícios. Para isso, promovemos cursos, debates, seminários.
Impact: How does it Work

Exemplo: Compartilhe um exemplo específico de como essa solução faz a diferença, inclua situações práticas.

A partir de dois seminários, de 6 círculos de diálogos e de 11 audiências públicas promovidos de 2012 a 2015 em Curitiba/Paraná/Brasil, foi elaborado o eixo 'tecnologia e dignidade humana' para compor o I Plano Estadual e Educação em Direitos Humanos do Estado do Paraná. Tal eixo contém os princípios norteadores da tecnologia na sociedade e uma lista de 20 ações indicando público alvo e responsáveis para prevenir a dependência tecnológica e os crimes na internet, priorizando a proteção das crianças e dos adolescentes. Participaram dos citados eventos mais de 700 profissionais e estudantes das áreas da educação, saúde, segurança e justiça, também vários representantes da sociedade civil organizada.

Impacto: Qual tem sido o impacto do seu trabalho até hoje? Descreva também o impacto esperado para o futuro do projeto.

O principal impacto que tem ocorrido com a implementação do Projeto Conectar com Sabedoria é a mudança de mentalidade em relação ao uso das tecnologias digitais, evoluindo para um uso ético, saudável e seguro. Condição em que as crianças e os adolescentes estão sendo beneficiados com a devida orientação com essa qualidade de uso. Já foram dois seminários de abrangência nacional (I e II Seminário de Tecnologia e Dignidade Humana), seis círculos de diálogos com a mesma identificação, 11 audiências públicas de educação em direitos humanos, sendo a tecnologia e dignidade humana um dos 6 eixos de discussão/produção do I Plano Estadual de Educação em Direitos Humanos PR. Elaboramos um projeto de lei para instituir o dia estadual de tecnologia e dignidade humana 'Lei Nº 18572/2015/PR' destinado à mobilização social para prevenção à adição e ao aliciamento de crianças e adolescentes na Internet.

Estratégias de Expansão: Avançando o projeto, quais são as principais estratégias para ampliar o seu impacto?

Para ampliar o Projeto 'Conectar com Sabedoria' o Instituto Tecnologia e Dignidade Humana tem firmado parcerias com a Universidade federal do Paraná, com a Pontifícia Universidade Católica do Paraná, com colégios e escolas públicas e particulares, bem como, com Conselhos de Segurança, para unirmos esforços para a propagação e disseminação das concepções do uso saudável e seguro das tecnologias por crianças e adolescentes. Estamos desenvolvendo o website e flyer digitais do Instituto e do Projeto para ampliar a visibilidade das ações desenvolvidas. Já temos uma música tema do projeto.
Sustentabilidade

Plano de Sustentabilidade Financeira: Qual é o plano para garantir a sustentabilidade financeira do projeto?

O Projeto recentemente foi aprovado no edital 2015/2016 da BrazilFundation. Mesmo o valor sendo pequeno (R$ 20.000,00) estamos planejando a composição dos materiais informacionais do Projeto (Flyer, Website, Banner, Cartões). Para ampliação da proposta em termos da promoção de eventos de formação em escolas, colégios e universidades, precisamos da reprodução de materiais informacionais e condições para promover esses processos em EaD.

Mercado ou Setor: Quais projetos ou organizações estão solucionando o mesmo problema que você e como essas propostas diferem da sua?

Instituições que se aproximam da proposta do projeto Conectar com sabedoria são: Safernet, iStar, ChildHood. Mas, todas essas tratam do impacto do uso das tecnologias na segurança do usuário e o projeto proposto pelo Instituto Tecnologia e Dignidade Humana aborda os impactos para além da segurança, na saúde física, nos aspectos psicológicos, na cognição e na aprendizagem, nas relações familiares e sociais. Sinceramente, no Brasil, não conhecemos nenhuma iniciativa que contém tal integralidade.
Equipe

História de fundação

Tudo começou com a participação dos membros fundadores do Instituto Tecnologia e Dignidade Humana no I Fórum sobre pedofilia e pornografia infanto-juvenil na internet, promovido pela Comissão da Criança e do Adolescente da Ordem dos Advogados do Brasil – Secional Paraná, em novembro de 2009. Impactos para a integridade física, psíquica e para a segurança de crianças e adolescentes foram discutidos por delegados, promotores de justiça, médicos, psicólogos e juízes de direito. Desde então, instigados pelo que foi tratado no referido evento, instaurou-se um movimento interdisciplinar para proteção das crianças e adolescentes, num contexto tecnológico, no Estado do Paraná. E, por consequência a elaboração do Projeto 'Conectar com Sabedoria'.

Equipe

Cineiva Tono - Doutora em Tecnologia - Membro Fundadora do Instituto Tecnologia e Dignidade Humana (I-T&DH), atua em tempo integral no projeto; Marilza Hack - Pedagoga - Vice-Presidente I-T&DH, Adriana Svidnicki - Secretária Executiva I-T&DH, trata da comunicação. Samuel Paulino - Contador e Advogado I-T&DH, Cirení Gomes na área administrativa. Esses quatro profissionais atuam parcialmente. Temos 20 acadêmicos e 7 profissionais colaboradores.
Público Alvo:

Formuladores de Políticas Públicas, Jovens.

Outros (Por favor, especifique)

Professores e Pais de Crianças e Adolescentes.

Foco de atuação:

Conscientização, Organização comunitária, Educação, Pesquisa e informação.

Outros (Por favor, especifique)

Direitos Humanos

Inovação: O que faz que seu projeto seja inovador no setor de Direitos Humanos? (600 caracteres ou 100 palavras)

O Projeto 'Conectar com Sabedoria' é inovador em sua essência, porque todos, sem distinção, têm o 'DIREITO' de saber que se não tomarem os devidos cuidados em termos de tempo, conteúdo e forma ao utilizarem as tecnologias digitais, podem adoecer fisicamente e psicologicamente, e se tornarem dispersos e desatentos, e ainda, vulneráveis a malefícios para a cognição, para as relações familiares e para a segurança, principalmente, em se tratando de crianças e adolescentes.

Conte-nos sobre as parcerias que apoiam o seu trabalho: (450 caracteres ou 75 palavras)

Universidade Federal do Paraná - Setor de Educação Profissionalizante e Tecnológica, Acadêmicos estão sendo formados para assumirem a função de multiplicadores do Projeto 'Conectar com Sabedoria'. Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Paraná - Comissão da Criança e do Adolescente - Equipe multidisciplinar (advogados, assistentes sociais, psicólogos) propondo ações de proteção prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente. Conselhos de Segurança, Escolas e Colégios reúnem pais e professores para os processos formativos.

Políticas Públicas: De que modo você está contribuindo ou pensa em contribuir com no âmbito de políticas públicas? (300 caracteres ou 50 palavras)

Contribuição para políticas públicas: Eixo tecnologia e dignidade humana do I Plano Estadual de Educação em Direitos Humanos do Paraná e elaboração do Projeto da Lei Nº 18572/2015 destinado à mobilização social para prevenção à adição e ao aliciamento de crianças e adolescentes na Internet e Decreto que a regulamentou.

Novas tendências: Além de seu projeto, que fatores, mudanças ou sucessos você acredita que poderiam ter uma forte influência no avanço dos Direitos Humanos? (600 caracteres ou 100 palavras)

As implementações para garantia dos direitos humanos devem contemplar a perspectiva do uso, abuso e dependência das tecnologias de informação e comunicação, bem como de substâncias psicoativas, pois são implicações em crescente expansão na atualidade. Outra perspectiva que gostaríamos de enfatizar é o ‘direito’ da pessoa privada da liberdade e das crianças e adolescentes em conflito com a lei. Essas pessoas têm muito que dizer para diagnosticar as mazelas da humanidade. Temos experiência neste assunto, pois fizemos uma pesquisa sobre violência com mais de 8 mil presos de 23 unidades penais no Paraná e as respostas foram reveladoras.