Crianças da Amazônia

Congratulations! This Entry has been selected as a semifinalist.

Crianças da Amazônia: Modelo escalável para a promoção da Primeira Infância na região amazônica

Borba, BrasilBorba, Brasil
Ano em que foi fundado:
2012
Tipo de organização: 
Sem fins lucrativos / ONG/ Setor Civil
Estágio do Projeto:
Escalando
Orçamento: 
$1 million - $5 million
Scaling strategies launched within the past 6 months:
Campanhas
Lobbying, alteração de políticas
Resumo do projeto
Pitch de Elevador (Explicação curta e direta)

Resumo conciso: Ajude-nos a lançar esta solução! Forneça uma explicação dentro de 3-4 frases curtas.

As crianças de comunidades da Amazônia são um dos grupos mais vulneráveis do mundo.Queremos ampliar modelo de promoção e proteção de gestantes e crianças, para chegar até regiões mais remotas.Assim garantiremos o direito das crianças de terem as condições necessárias para o seu bom desenvolvimento.

E SE... - Inspiração: Escreva uma frase que descreve uma forma que seu projeto se atreve a perguntar: "E SE?"

E se as crianças da Amazônia, que são um grupo dos mais vulneráveis do mundo, tivessem garantidas as condições para o seu desenvolvimento saudável?
SOBRE O PROJETO

Problema: Este projeto busca solucionar qual problema?

A satisfação das necessidades de saúde da Primeira Infância no contexto amazônico é grande desafio devido a especificidades geográficas, culturais e sociais. O acesso ao pré-natal e serviços básicos de saúde é deficitário na região, onde a mortalidade infantil se relaciona sobretudo a condições do parto e à qualidade do cuidado na gravidez e durante os primeiros anos da criança. O Agente Comunitário de Saúde (ACS) é meio para mudar esta realidade

Solução: Qual é a solução proposta? Por favor, seja específico!

O modelo de intervenção foi elaborado para atender às necessidades das comunidades da Amazônia a partir dos recursos locais disponíveis. Nesse sentido, sua estrutura se apoia na capacitação do ACS, profissional que trabalha com as famílias das comunidades e atua diretamente na atenção às crianças por meio das visitas domiciliares. Através de um percurso formativo, a intervenção busca aprimorar as visitas domiciliares na abordagem da Primeira Infância, sendo concebida para apoiar os ACSs a levar conhecimentos aos cuidadores. Assim, o modelo trabalha o potencial de um ambiente doméstico estimulante para o desenvolvimento integral da criança, ao conscientizar os cuidadores sobre a importância de sua participação nesse processo.
Impact: How does it Work

Exemplo: Compartilhe um exemplo específico de como essa solução faz a diferença, inclua situações práticas.

No projeto piloto do modelo de intervenção (Primeira Infância Ribeirinha - PIR), identificou-se o caso de uma gestante que, encorajada pelo ACS a fazer pré-natal, descobriu nos exames ser HIV positiva. Com esta informação, foi possível realizar os cuidados médicos e a criança nasceu sem o vírus. Outra história é o caso do ACS que achava que o colostro deveria ser descartado, mas depois de descobrir sua importância, passou a fazer campanha a favor do aleitamento exclusivo. Além disso, no processo avaliativo do projeto piloto, notou-se melhora da autoestima dos ACSs, impacto positivo não esperado: “Antes eu era apenas um morador da comunidade, hoje sou um profissional. Sou amigo, mas quando chego em uma comunidade, sou um profissional.” – ACS

Impacto: Qual tem sido o impacto do seu trabalho até hoje? Descreva também o impacto esperado para o futuro do projeto.

Até o momento o projeto capacitou 121 ACSs, beneficiando 1.842 famílias, 357 gestantes e 2.201 crianças de crianças de 0-6 anos. O projeto piloto foi avaliado com a metodologia de Retorno Social do Investimento (SROI): ele gerou valor social 2,8 vezes o valor investido. As crianças foram o grupo mais beneficiado, sobretudo em seu desenvolvimento motor e cognitivo. Os dados apresentam uma relação positiva entre a frequência das visitas domiciliares e o impacto gerado: se todos os domicílios recebessem visitas a cada 15 dias, a taxa SROI aumentaria para 3,4. Também realizamos um estudo comparando dados coletados antes do início do projeto e após sua conclusão. Verificou-se que as orientações dos ACS resultaram em uma melhoria no cuidado com a alimentação infantil e atenção às crianças, gerando melhores indicadores de saúde nestas comunidades.

Estratégias de Expansão: Avançando o projeto, quais são as principais estratégias para ampliar o seu impacto?

O projeto trouxe evidências para a aprovação de uma política pública, a Política Estadual PIA - Lei Nº 4.312, 11/03/2016. Foram 2 experiências bem-sucedidas, o projeto PIR (em parceria com a FAS), e o projeto que está em implantação em Borba, que faz parte do Programa de Apoio à Primeira Infância – PAPI (em parceria com a UEA). A ampliação do impacto virá com a expansão do modelo proposto para 4 municípios já em fase de implantação da política, em coordenação com a Secretaria de Estado de Saúde (SUSAM), homólogas municipais e demais atores que atuam para a promoção do desenvolvimento infantil.
Sustentabilidade
Financiamento: Como o seu projeto está sendo apoiado financeiramente?: 
subsídio de fundação ou ONG - 100%

Plano de Sustentabilidade Financeira: Qual é o plano para garantir a sustentabilidade financeira do projeto?

O Governo do Amazonas colaborou para o processo de elaboração e implantação da intervenção, recebendo com entusiasmo a ideia de ter um modelo de projeto que pudesse ser expandido para impactar todas as crianças do estado através de uma política pública. Para garantir a implantação da PIA, o Governo tem o compromisso de liderar e custear a implantação das iniciativas nos municípios, uma vez que a implantação nos 4 municípios seja bem-sucedida.

Mercado ou Setor: Quais projetos ou organizações estão solucionando o mesmo problema que você e como essas propostas diferem da sua?

A principal diferença é a criação de um modelo que supera as questões de distâncias e custos envolvidos para operar no Amazonas. Em parceria com a Universidade do Estado do Amazonas (UEA - PAPI) aprimoramos a experiência piloto do PIR através da implantação de um projeto em Borba. A estratégia de intervenção agrega a capacitação dos ACSs ao internato rural dos alunos, de forma a fortalecer a Primeira Infância como tema de pesquisa e a sensibilizar futuros profissionais da saúde ao trabalho no interior do estado. Esta é a principal diferença, a criação de um modelo de baixo custo sustentável.
Equipe

História de fundação

O IDIS acumula grande experiência na área da Primeira Infância no Brasil desde 2008, quando deu apoio técnico para a criação da primeira Fundação dedicada ao tema no Brasil (www.fmcsv.org.br). Ao se aprofundar no tema identificou que as crianças ribeirinhas são as mais vulneráveis do país e no mundo, e buscou soluções para este grupo desassistido. O potencial da proposta levou a Fundação Bernard van Leer a apoiar o IDIS no design e implantação de uma iniciativa inovadora escalável para o desenvolvimento da primeira infância de crianças ribeirinhas. Se resolvermos o problema dos ribeirinhos, resolvemos de qualquer criança brasileira!

Equipe

Paula Fabiani– Diretora-presidente do IDIS. Foi diretora financeira da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal e Controller do Instituto Akatu. Marcos Kisil– Consultor estratégico e fundador do IDIS. Médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, atuou como Diretor Regional para a América Latina e Caribe na Fundação W.K. Kellogg e foi consultor da Organização Pan-Americana de Saúde. Sofia Rebehy– Analista de Projetos IDIS
Público Alvo:

Populações marginalizadas.

Outros (Por favor, especifique)
Foco de atuação:

Conscientização, Organização comunitária, Educação, Leis, Pesquisa e informação, Tecnologias.

Outros (Por favor, especifique)
Inovação: O que faz que seu projeto seja inovador no setor de Direitos Humanos? (600 caracteres ou 100 palavras)

Às crianças da Amazônia não são oferecidas as condições básicas para o desenvolvimento de seu potencial. Precárias condições de acesso ao serviço público de saúde ao saneamento básico, por exemplo, apresentam-se como fatores impeditivos ao desenvolvimento infantil adequado. Essas condições não somente não são satisfeitas, como também perpetuam a pobreza que resulta da não-garantia dos direitos inerentes ao ser humano. Ao promover as condições para o desenvolvimento integral da Primeira Infância por meio de um modelo adaptado à realidade amazônica, apoia-se o progresso social, uma vez que as crianças são o futuro das comunidades.
O modelo de intervenção atuará para garantir cumprimento de direitos das crianças de até seis anos. O Programa ganha forma e sustentabilidade através da sinergia que estabelece com a lei Marco Legal da Primeira Infância (lei 13.257/16, de março de 2016), que tem como objetivo garantir os direitos infantis ao colocar a primeira infância como prioridade no desenvolvimento de programas e políticas públicas no país. Ainda, ao orientar sobre as melhores práticas para o desenvolvimento infantil, o modelo proposto empodera a gestão pública de saúde, os ACSs e, sobretudo, as famílias pare serem agentes de transformação da realidade das crianças.

Conte-nos sobre as parcerias que apoiam o seu trabalho: (450 caracteres ou 75 palavras)

O modelo de intervenção proposto é implantado através de uma parceria direta com a UEA. A SUSAM colabora desde a criação do modelo de intervenção, tendo papel fundamental na articulação com secretarias municipais de saúde para recebimento do projeto. A Fundação Banco do Brasil (FBB) apoia o trabalho para o desenvolvimento da Primeira Infância ao ser parceira no projeto que visa levar tecnologias sociais para comunidades do Amazonas. A FAS apoia a iniciativa através da expansão do projeto PIR.

Políticas Públicas: De que modo você está contribuindo ou pensa em contribuir com no âmbito de políticas públicas? (300 caracteres ou 50 palavras)

A elaboração e implantação do modelo de intervenção teve como objetivo final a criação de evidências para o estabelecimento de uma política pública. Com apoio do IDIS, o Governo aprovou a Política Estadual Programa Primeira Infância Amazonense - PIA, garantindo a sustentabilidade do modelo de intervenção no longo prazo.

Novas tendências: Além de seu projeto, que fatores, mudanças ou sucessos você acredita que poderiam ter uma forte influência no avanço dos Direitos Humanos? (600 caracteres ou 100 palavras)

Acreditamos que a transformação do espaço urbano com e pelas crianças é uma iniciativa promotora da garantia dos Direitos Humanos. Esta iniciativa é promissora pois garante a escuta das crianças na construção de uma cidade mais igualitária e justa.