Empoderando Refugiadas

Congratulations! This Entry has been selected as a finalist.

Empoderando Refugiadas: E pudéssemos ajudar que refugiadas recomecem suas vidas de forma digna no Brasil

São Paulo, Brasil
Ano em que foi fundado:
2015
Tipo de organização: 
Híbrida
Estágio do Projeto:
Estabelecido
Orçamento: 
$10,000 - $50,000
Scaling strategies launched within the past 6 months:
Crescimento organizacional
Organização de conferências
Treinamento, consultas
Resumo do projeto
Pitch de Elevador (Explicação curta e direta)

Resumo conciso: Ajude-nos a lançar esta solução! Forneça uma explicação dentro de 3-4 frases curtas.

Este projeto conta com vários parceiros que tem contribuído para o empoderamento de um grupo de refugiadas, ao oferecer orientação sobre direitos, habilidades e carreira. Ao mesmo tempo, temos sensibilizado empresas para que se engajem no tema e promovam os direitos humanos destas mulheres.

SOBRE O PROJETO

Problema: Este projeto busca solucionar qual problema?

As refugiadas enfrentam vários obstáculos para inserção na sociedade (barreiras culturais, linguísticas, legais e profissionais). Diante destes desafios, os parceiros vislumbraram a importância de elaborar um projeto destinado à empregabilidade de refugiadas que iria além da inserção profissional, objetivando seu empoderamento econômico, sua preparação para o mercado de trabalho e a sensibilização de empresas em relação à sua causa.

Solução: Qual é a solução proposta? Por favor, seja específico!

O projeto é uma iniciativa do GT de Direitos Humanos do Pacto Global e trabalhou, em sua primeira edição, com um grupo de 30 refugiadas. Acompanhado por diversos parceiros, o grupo participou de três workshops (planejamento financeiro e profissional, direitos como refugiadas, mulheres e trabalhadoras e habilidades práticas para melhorar o português e empreendedorismo feminino), recebeu sessões de coaching e mentoria e encaminhamento para entrevistas com possíveis empregadores. Para a segunda edição do projeto, os parceiros buscam desenvolver uma plataforma de interação entre brasileiras e refugiadas, com o objetivo de fomentar a troca de conhecimento e experiências entre elas, através do voluntariado corporativo.

Prêmios

O projeto foi apresentado em 3 eventos internacionais como exemplo de parceria para o desenvolvimento (ONU-NY e GRI-Amsterdam)
Impact: How does it Work

Exemplo: Compartilhe um exemplo específico de como essa solução faz a diferença, inclua situações práticas.

Em uma reunião de feedback sobre as atividades do projeto com algumas participantes, realizada em junho de 2016, as refugiadas relataram que: Aprendeu mais sobre seus direitos; Abriu os olhos para como é o mundo dos brasileiros; Sentiu a necessidade estudar mais; Obteve maior autoconfiança e se sentiu empoderada; Ampliou sua rede de amizades e contatos durante os encontros promovidos; Recebeu energia positiva no encontro; Além disto, 6 refugiadas obtiveram trabalho. 2 empreendedoras receberam orientação específica e tiveram acesso a oportunidades para expandir seus negócios. O impacto também é percebido em empresas que estão abrindo suas portas para contratação de refugiados e oferecendo acesso aos seus programas sociais.

Impacto: Qual tem sido o impacto do seu trabalho até hoje? Descreva também o impacto esperado para o futuro do projeto.

- Foram promovidos 3 workshops. No total, participaram destes encontros 33 refugiadas. Temas dos workshops: direitos, questões culturais no ambiente de trabalho, empreendedorismo, educação financeira, ferramentas para melhorar o portugues, etc. - 21 refugiadas receberam sessões individuais de coaching e mentoring. - Os parceiros do projeto têm contatado diferentes empresas a fim de buscar vagas para as mulheres do projeto. Foram feitos 11 encaminhamentos para entrevistas. Foram possibilitadas 6 contratações por intermédio direto dos parceiros e duas contratações indiretas. - As mulheres do projeto tem se beneficiado de oportunidades profissionais e educionais e de networking, aumentando assim suas redes de contato. - Parceiros mostraram seu engajamento no tema: Lojas Renner passou a oferecer cursos de costura para refugiados e Sodexo anunciou vagas específicas para refugiadas.

Estratégias de Expansão: Avançando o projeto, quais são as principais estratégias para ampliar o seu impacto?

Obtendo o apoio financeiro, visualizamos a criação de uma plataforma online que possibilitará que as refugiadas participantes do projeto recebam orientação individual de brasileiras que tenham carreiras consolidadas e poderiam orientar as refugiadas neste caminho, sendo suas facilitadoras. Promoveremos que empresas facilitem que suas funcionárias participem destas sessões de mentoria a partir do voluntariado corporativo. Nosso objetivo é criar uma rede entre elas que vise o empoderamento econômico das refugiadas e facilitar sua integração no Brasil. A plataforma permitiria dar escala ao projet
Sustentabilidade
Financiamento: Como o seu projeto está sendo apoiado financeiramente?: 
contribuições de corporações - 50%
salário (proveniente de vendas, licenciamento, franchising, consultoria, financiamento, etc.) - 50%

Plano de Sustentabilidade Financeira: Qual é o plano para garantir a sustentabilidade financeira do projeto?

A primeira edição do projeto aconteceu graças ao apoio de cada parceiro, com suas contribuições in kind e financeiras. Em cada encontro promovido, os parceiros se mobilizaram com seus próprios recursos. Para a segunda edição do projeto, será captado mais contribuições financeiras de possíveis parceiros, de forma mais estruturada. Várias empresas já demonstraram interesse para apoiar o projeto e os parceiros iniciais continuarão engajados.

Mercado ou Setor: Quais projetos ou organizações estão solucionando o mesmo problema que você e como essas propostas diferem da sua?

Desconhecemos um projeto ou organização que realize a mesma atividade. O diferencial do nosso projeto é que ele foi capaz de mobilizar diferentes parceiros, de diferentes setores por esta causa comum: empoderar refugiadas. O Pacto Global é a iniciativa da ONU que visa fomentar que as empresas atuem em prol dos objetivos da ONU. Ao mobilizar empresas para o tema de refugiados, estamos trabalhando para o empoderamento da mulher e dos refugiados e ao mesmo tempo, melhorando diretamente a vida destas refugiadas envolvidas no projeto.
Equipe

História de fundação

Dentro do GT de Direitos Humanos do Pacto Global, participam diversas empresas, ONGs e agências da ONU. Entre alguns membros, conseguimos achar um interesse em comum: mulheres refugiadas, graças à participação da ONU Mulheres e ACNUR. Conseguimos envolver outros parceiros que tinham o interesse de fazer algo mais concreto para um grupo de mulheres. Sob a coordenação do Pacto Global, passamos a nos reunir e planejar as ações. Todos os parceiros são muito engajados e contribuiram ativamente para cada resultado alcançado. Ao longo dos meses, fomos conquistando novos parceiros para a causa, como grandes empresas.

Equipe

O projeto tem como parceiros: - Rede Brasil do Pacto Global - ONU Mulheres - ACNUR - Agencia da ONU para refugiados - Caritas Arquidiocesana de São Paulo (Centro de Referência para Refugiados) - Programa de Apoio para a Recolocação dos Refugiados (PARR) - Fox Time Recursos Humanos - Itaipu Binacional - Lojas Renner e Instituto Lojas Renner - Consulado da Mulher/Whirlpool - Sodexo
Público Alvo:

Populações marginalizadas.

Outros (Por favor, especifique)
Foco de atuação:

Conscientização, Parcerias, Educação.

Outros (Por favor, especifique)
Inovação: O que faz que seu projeto seja inovador no setor de Direitos Humanos? (600 caracteres ou 100 palavras)

O engajamento das empresas no tema é inovador e é importantíssimo para que refugiados e refugiadas possam se integrar efetivamente na sociedade brasileira. Os refugiados e solicitantes de refúgio encontram diversas barreiras e a busca por um trabalho formal e decente certamente está entre seus principais desafios. Deste modo, é primordial que o setor empresarial seja conhecedor dos direitos dessas pessoas e esteja sensibilizado com o tema, a fim de não criar barreiras para contratá-las e não discriminá-las, garantindo, deste modo, o respeito aos seus direitos humanos. Quando sensibilizadas com a questão do refúgio, as empresas podem ainda ir além, atuando como um ator que promove os direitos humanos a partir de uma postura proativa e voluntária. Ao trabalhar a sensibilização das empresas e, ao mesmo tempo, preparar melhor as refugiadas para o mercado de trabalho, estamos possibilitando que elas possam recomeçar suas vidas no país de maneira digna.

Conte-nos sobre as parcerias que apoiam o seu trabalho: (450 caracteres ou 75 palavras)

Além dos parceiros já citados, contamos com a participação de várias organizações nos encontros, que apoiaram tanto na orientação direta às refugiadas como deram oportunidades profissionais para as refugiadas como: Migraflix, Rede Mulher Empreendedora, Sebrae, Grupos Mulheres do Brasil, Language Land, Tunnel Lab, GOverno do Estado de São Paulo e outros. A parceria em geral tem tido muito sucesso e tem atraído novas parcerias com o decorrer do tempo.

Políticas Públicas: De que modo você está contribuindo ou pensa em contribuir com no âmbito de políticas públicas? (300 caracteres ou 50 palavras)

Com relação ao tema de refugiados e mercado de trabalho, estamos apontando alguns obstáculos de integração que poderiam ser resolvidos por políticas públicas. Promovemos um diálogo em junho que apontou como as empresas podem ajudar na integração dos refugiados, com participação de representantes de organismos públicos. Queremos nos articular melhor com o governo federal (CONARE) para que seja possível influenciar as questões relativas à empregabilidade dos refugiados no Brasil. Por exemplo, trabalhar juntos para a conscientização do setor privado e em programas que ofereçam qualificação para estas pessoas.

Novas tendências: Além de seu projeto, que fatores, mudanças ou sucessos você acredita que poderiam ter uma forte influência no avanço dos Direitos Humanos? (600 caracteres ou 100 palavras)

No Pacto Global acreditamos que as empresas têm um papel fundamental no cenário de direitos humanos. No primeiro princípio do Pacto Global, as empresas se comprometem em apoiar e respeitar os direitos humanos. COm este projeto, estamos engajando empresas para que promovam direitos humanos e os impactos são enormes. Com a nova agenda de desenvolvimento sustentável, as empresas estão cada vez mais se envolvendo neste tema, porque uma sociedade saudável também é saudável para os negócios, além de questões éticas como "do the right thing".

Comentários

foto de Cássio Martin

Primeiramente, parabéns pelo projeto que é maravilhoso!

Acreditamos que a inserção da mulher refugiada no mercado de trabalho e algo essencial ao seu empoderamento. Em razão disso, se vocês tiverem material que trabalham no workshop, poderiam enviar para [email protected] ? Gostariamos muito de usar nas nossas oficinas. Até agora, as oficinas que realizamos, contam, em sua maioria, com homens (principalmente haitianos e senegaleses), mas quando e se começarem a chegar mulheres, queremos muito trabalhar essas temáticas. 

Temos uma dúvida quanto ao encaminhamento às empresas. O GAIRE já recebeu MUITAs ofertas de emprego para refugiados e imigrantes. Chegamos à conclusão de não indicar assistido, posto que também recebemos muitos casos de direito do trabalho. Portanto, sempre encaminhamos, empregadores e imigrante buscando emprego, ao SINE (Sistema Nacional de Emprego). Existe um certo receio do grupo que, se o empregador não cumprir com as relações trabalhistas expressas na CLT, o assistido-imigrante poderia ficar chateado com o nosso grupo (e com razão), pois indicamos alguém que não cumpriu com seus deveres legais. Então evitamos fazer essa ponte, já para não nos responsabilizarmos e deixamos os empregadores lidarem diretamtne com o MTE para que os processos de contratação legais sejam obedecidos. Gostaríamos de saber como vocês procedem nesses casos?

Parabéns!

Olá Cassio, muito obrigada por seu feedback.

Que legal que trabalham algo parecido. Sobre os materiais, posso compartilhar com você o programa dos encontros que promovemos. Poderia me escrever e solicitar por gentileza? Meu email é [email protected].

Sobre as empresas, os encaminhamentos que fizemos durante a primeira edição foram a partir do PARR, que é um programa que realiza parcerias com empresas para buscar vagas para refugiados e também através da Fox Time Recursos Humanos, que encaminhou algumas mulheres para entrevistas com clientes deles. Acredito que é necessário alguma parceria maior com a empresa, para garantir que ela vai oferecer condições dignas de trabalho. Posso te colocar em contato com eles para que tire suas dúvidas.

Me escreva por favor e continuamos esta conversa.

Abs,

Vanessa Tarantini.