TUTORES DE RESILIENCIA

TUTORES DE RESILIENCIA: PROJETO DE APADRINHAMENTO AFETIVO

SA, Brasil
Ano em que foi fundado:
2014
Estágio do Projeto:
Estabelecido
Orçamento: 
$50,000 - $100,000
Scaling strategies launched within the past 6 months:
Outros
Resumo do projeto
Pitch de Elevador (Explicação curta e direta)

Resumo conciso: Ajude-nos a lançar esta solução! Forneça uma explicação dentro de 3-4 frases curtas.

O Projeto visa proporcionar às crianças e adolescentes em situação de abrigamento uma vivência comunitária e familiar, direito previsto no ECA (1990), assim como contribuir para que se criem vínculos afetivos com pessoas de fora da Instituição, de maneira que recebam cuidados e atenção e afeto.

E SE... - Inspiração: Escreva uma frase que descreve uma forma que seu projeto se atreve a perguntar: "E SE?"

E se toda a comunidade, sob a ética do cuidado, assumisse as crianças como suas? Não seria outro nosso mundo? um abandonamento a menos,um abandonado a menos...
SOBRE O PROJETO

Problema: Este projeto busca solucionar qual problema?

O problema central é uma politica de proteção à criança que é baseada na institucionalização, na criança de"filhos do Estado". A institucionalização é uma forma inadequada de proteção aos direitos da criança, no Brasil temos mais de 45 mil crianças institucionalizadas cria-se uma violência simbólica, em que sentimentos de abandono e a massificação das singularidades fazem-se presente nas relações e no cotidiano institucional.

Solução: Qual é a solução proposta? Por favor, seja específico!

A comunidade assumir suas crianças como cidadãs e não pactuar mais com "a politica publica de filhos do Estado". O objetivo é alcançar, por meio da relação padrinho-afilhado, trocas afetivas contínuas e novas referencias para as crianças e jovens institucionalizados. Baseia-se na concepção que pessoas de referência são essenciais para que as crianças desenvolvam seus potencias de resiliência, contribuindo para a ressignificação de experiências.

Prêmios

nenhum...ainda...
Impact: How does it Work

Exemplo: Compartilhe um exemplo específico de como essa solução faz a diferença, inclua situações práticas.

No plano imediato já temos relatos dos funcionários do abrigo são de que as crianças estão apresentando menos agressividade, melhora na escola, o clima relacional do abrigo está mais agradável. Depoimento da psicologa da vara sobre a vinculação das crianças aos padrinhos. Pedido dos terapeutas das crianças de conhecerem os padrinhos que estão sendo citados nos processos terapêuticos. Num sentido mais amplo, os resultados devem caminhar para uma cidadania plena, crianças que possam ter suas identidades pautadas em potenciais e não serem rotuladas de fracassadas uma vez que tiveram suas vidas marcadas por alta vulnerabilidade social.

Impacto: Qual tem sido o impacto do seu trabalho até hoje? Descreva também o impacto esperado para o futuro do projeto.

O impacto ainda se restringe a 20 crianças envolvidas no projeto, algumas famílias desses jovens e 20 padrinhos voluntários da comunidade. Mas a proposta é de ruptura com uma cultura de segregação da criança que teve seus direitos violados e vive com "prisioneira" em instituições com marcas de instituições totais, carregando para sempre o estigma do abandono e da falta de perspectiva.

Estratégias de Expansão: Avançando o projeto, quais são as principais estratégias para ampliar o seu impacto?

Iniciar o projeto em outros abrigos ligados ao Foro Central que já trabalhamos e depois em outras comarcas de SP. Multiplicando a experiencia realizada e ampliando seu alcance.
Sustentabilidade
Financiamento: Como o seu projeto está sendo apoiado financeiramente?: 
outro - 50%

Plano de Sustentabilidade Financeira: Qual é o plano para garantir a sustentabilidade financeira do projeto?

Parcerias com Instituições de fomento, CONANDA e Secretaria municipal de SP que tem verbas para as medidas de proteção.

Mercado ou Setor: Quais projetos ou organizações estão solucionando o mesmo problema que você e como essas propostas diferem da sua?

Iniciativas pequenas e isoladas estão começando a surgir, formalmente não há nenhum projeto que assuma a cidade de São Paulo.
Equipe

História de fundação

A profa Dra Vania C. Sequeira trabalha com estágios em diversas instituições de acolhimento desde 2001, além de ter sido psicóloga efetiva do Estado na secretaria da SMADS. A ideia desse projeto é expandir para a comunidade uma experiência realizada em um projeto piloto de extensão universitária (Universidade Presbiteriana Mackenzie - LEVV) em parceria com a vara da infância do Foro Central e abrigos da região central de SP. O acolhimento institucional ocorre quando há violações de direitos da criança e do adolescente, e apesar de ser uma medida protetiva e provisória, a maior parte das crianças permanecem acolhidas por grande parte de sua infância e adolescência com pouco ou nenhum contato familiar e comunitário.

Equipe

As pessoas envolvidas no Centro de Resiliência desenvolvem estudos, desde 2012, sobre o fenômeno da resiliência de forma a embasar ações de intervenção na área da saúde coletiva. Profa Dra Vania Conselheiro Sequeira supervisora e idealizadora do proejto ; Camila Kfouri - psicologa e responsavel tecnicas. Formandos em Psicologi Danielle Araujo ; Fernanda Viana; Mariana Pelais; Paula Martinez,; Laura Calderazo, Giancarlo Dedone, Marina Rocha
Público Alvo:

Populações marginalizadas, Formuladores de Políticas Públicas.

Outros (Por favor, especifique)

Os principais beneficiários do projeto serão as crianças e adolescentes em situação de acolhimento institucional sem perspectivas de adoção e/ou retorno para a família de origem. Os demais beneficiários serão os padrinhos, as instituições de acolhimento, as varas da infância e a comunidade. Os beneficiários diretos serão as crianças e adolescentes institucionalizados. De forma indireta será beneficiários a equipe de trabalho do projeto, os 11 funcionários de cada SAICA, a comunidade, por meio dos 20 padrinhos e a rede de apoio, que acompanham as consequências das dificuldades trazidas pelo rompimento e não continuidade dos laços afetivos.

Foco de atuação:

Organização comunitária, Leis.

Outros (Por favor, especifique)

Com a execução do projeto espera-se que as crianças e adolescentes tenham a oportunidade de vivenciar vínculos significativos e duradouros com uma pessoa de referência externa a instituição, capaz de auxiliá-los em seu processo de desenvolvimento. Também se espera que o padrinho possa oferecer cuidados e atenção individualizados à criança e ao adolescente e que compartilhem momentos e vivências, numa troca contínua. Além disso, busca-se ampliar o contato com a comunidade e seu repertório cultural, bem como desenvolver seus recursos internos e estratégias de enfrentamento de situações adversas. O sucesso do projeto poderá ser avaliado através de observação das interações, e reuniões com todos os atores envolvidos (equipe técnica, crianças e adolescentes, padrinhos, educadores, rede de apoio, vara da infância, CREAS) que poderão avaliar conjuntamente o impacto do projeto na vida das crianças e e no cotidiano institucional.

Inovação: O que faz que seu projeto seja inovador no setor de Direitos Humanos? (600 caracteres ou 100 palavras)

No Brasil, o Serviço de Acolhimento Institucional para Crianças e Adolescentes (SAICA) previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente-ECA (1990) é utilizado como principal medida de proteção a crianças e adolescentes, contudo deveria ser de caráter provisório. Esta medida de proteção acontece quando há uma situação de violação de direitos, estando muitas vezes relacionada à negligência parental e a violência doméstica e, apesar do ECA preconizar que a pobreza não deve ser motivo para o acolhimento institucional, as principais causas do acolhimento estão relacionadas à pobreza, o que indica o desamparo de muitas famílias por parte do Estado, e, por isso muitas crianças e adolescentes ficam por muitos anos institucionalizados, sem perspectiva de retorno à família de origem ou de adoção, por não estarem de acordo com a preferência dos candidatos (meninas, brancas e menores de 3 anos). O período de institucionalização causa impactos significativos no processo de desenvolvimento cognitivo e afetivo dos acolhidos, pois apesar do SAICA ter como principal objetivo oferecer proteção e garantia de direitos previstos no ECA, tais como saúde, lazer, educação, convivência comunitária e familiar, alimentação, moradia, entre outros; acaba por fragilizar a possibilidade de estabelecer vínculos com a comunidade, com outras figuras de referência.
O acolhimento institucional ocorre quando há violações de direitos da criança e do adolescente, e apesar de ser uma medida protetiva e provisória, a maior parte das crianças permanecem acolhidas por grande parte de sua infância e adolescência com pouco ou nenhum contato familiar e comunitário. Ou seja a criança tem seus direitos basico violados por um Estado que deveria protegê-la.
Frente a esta e outras problemáticas relacionadas à violação de direitos, somos um grupo de pessoas liderado pela Profa Dra Vania C. Sequeira que milita no campo dos direitos humanos e do enfrentamento de questões de violência e vulnerabilidade social, desde que implantou no governo do Estado de São Paulo, o Programa de Penas Alternativas à prisão que deu origem a Central de Penas e Medidas Alternativas (http://lattes.cnpq.br/9345634373010699) e implantou a Comissão de Direitos Humanos no Conselho Regional de Psicologia na época em que foi conselheira (1998/2004).

Conte-nos sobre as parcerias que apoiam o seu trabalho: (450 caracteres ou 75 palavras)

A experiência do grupo se deu a partir de projetos desenvolvidos no campo da extensão universitaria (LEVV-UPM, que deu bolsas de extensão para os alunos) sempre em articulação com diversos atores sociais: Vara da Infância e Juventude, Vara da Violência Doméstica, Centro de Referência Especializado em Assistência Social (CREAS), Serviço de Acolhimento Institucional para Crianças e Adolescentes (SAICA) e Conselhos Tutelares.

Políticas Públicas: De que modo você está contribuindo ou pensa em contribuir com no âmbito de políticas públicas? (300 caracteres ou 50 palavras)

Essa inciativa já obteve sucesso e tem determinação judicial de ampliação na vara da infância do foro central e tb de outros fóruns de SP. Ou seja, a ideia é que se torne uma politica publica de cuidado com as crianças em situação de violência e vulnerabilidade social de forma não segregatória, mas inclusiva, com participação da comunidade.

Novas tendências: Além de seu projeto, que fatores, mudanças ou sucessos você acredita que poderiam ter uma forte influência no avanço dos Direitos Humanos? (600 caracteres ou 100 palavras)

A tendencia deveria ser de respeito aos direitos da criança de não ser segregada, nem de carregar estigmas por ter tido seus direitos fundamentais violados. O cenário aponta para uma participação social e comunitária.