Integrando tecnologia na Educação Básica

Congratulations! This Entry has been selected as a finalist.

Integrando tecnologia na Educação Básica: Soluções inovadoras e de baixo custo na rede pública.

Araranguá, BrasilAraranguá, Brasil
Tipo de organização: 
Governamental
Estágio do Projeto:
Crescimento
Orçamento: 
$1,000 - $10,000
Resumo do projeto
Pitch de Elevador (Explicação curta e direta)

Resumo conciso: Ajude-nos a lançar esta solução! Forneça uma explicação dentro de 3-4 frases curtas.

Desenvolvimento e aplicação de proposta de estratégia metodológica para a integração tecnologias inovadoras de baixo custo no ensino das disciplinas STEM na Educação Básica da rede pública de ensino.
Dis eixos: capacitação dos docentes e integração da tecnologia nas atividades didáticas.

E SE... - Inspiração: Escreva uma frase que descreve uma forma que seu projeto se atreve a perguntar: "E SE?"

Práticas remotamente e dispositivos móveis.
SOBRE O PROJETO

Problema: Este projeto busca solucionar qual problema?

1 - Baixo número de computadores nas escolas para uso dos alunos; 2 - Baixo número de laboratórios para ciências para práticas; 3 - Necessidade de capacitação dos docentes em relação a integração das TICs na educação; 4 - Motivação dos alunos em relação as disciplinas STEM; 5 - Necessidade de inserção de tecnologia nos planos de ensino e desta forma reconhecer e valorizar a ecologia da aprendizagem.

Solução: Qual é a solução proposta? Por favor, seja específico!

1 - Utilização dos dispositivos móveis que já estão nas mãos dos alunos; 2 - Utilização dos laboratórios remotos e dos experimentos remotos, a fim de, oferece apoio as atividades práticas, pois, estas são muito prejudicas pela quase inexistência de Laboratórios de Ciências na rede pública; 3 - Oferta de cursos presenciais e semi-presenciais, oficinas, etc, para docentes buscando capacitar os docentes para integração das TICs nas disciplinas. 4 - Oferecer conteúdos digitais, práticas remotas, etc, via dispositivos móveis e ampliar as salas de aulas.
Impact: How does it Work

Exemplo: Compartilhe um exemplo específico de como essa solução faz a diferença, inclua situações práticas.

A aplicação durante 2013/2014 para 6 turmas da disciplina de Física da E.E.B. Maria Garcia Pessi, no município de Araranguá – SC onde cerca de 160 alunos do 2º ano do Ensino Médio utilizaram os recursos, tendo à disposição os conteúdos didáticos, tarefas, questionários e exercícios de revisão acessados via dispositivos móveis com acesso em qualquer horário e local. As atividades práticas na disciplina foram complementadas pela experimentação remota e além dos recursos os alunos criaram grupo no Facebook para debater e “tirar dúvidas” na disciplina. Este ambiente reunindo aulas e experimentação, integrando materiais, simulações e acesso a equipamentos e dispositivos motivou de forma expressiva os estudantes.

Impacto: Qual tem sido o impacto do seu trabalho até hoje? Descreva também o impacto esperado para o futuro do projeto.

Mantemos projeto piloto em três escolas de Educação Básica da rede pública em Araranguá-SC. Estão em desenvolvimento conteúdos educacionais, além dos já existentes, para acesso por dispositivos móveis e utilização de experimentos remotos, proporcionando aos alunos novas maneiras de interagir com a disciplina de física em qualquer lugar e a qualquer momento. Foi implantada em 2013 para seis turmas da disciplina de Física do 2º ano do Ensino Médio, para cerca de 160 estudantes e em 2014 iniciamos o projeto em mais 2 escolas de Educação Básica com foco no Ensino Fundamental e atualmente atendemos 187 docentes e 2700 alunos. No projeto são utilizados os recursos open hardware e software livre. A integração do m-learning à experimentação remota oferece mobilidade, conectividade e personalização, enriquecendo o processo de ensino-aprendizagem em qualquer lugar e a qualquer momento.

Estratégias de Expansão: Avançando o projeto, quais são as principais estratégias para ampliar o seu impacto?

Incentivar o uso de tecnologias na educação básica é respeitar a realidade do aluno, que é nativo digital. O mobile learning associado aos experimentos remotos apresenta-se como uma metodologia ubíqua de aprendizagem, oferecendo acesso em qualquer tempo e lugar, facilita o acesso às informações de forma direcionada pelo docente, o que evita desvios de atenção, e promove o aumento de interesse não apenas pelas disciplinas curriculares atuais, mas é capaz de motivar e estimular esses jovens a interessarem-se pelas áreas STEM quando tiverem que escolher suas futuras carreiras no ensino superior.
Sustentabilidade

Plano de Sustentabilidade Financeira: Qual é o plano para garantir a sustentabilidade financeira do projeto?

Obtivemos em 2012 R$ 9.600 junto ao CNPq no Edital CNPq Vale, em 2014 obtivemos US$ 13,900 junto ao Fundo Regional para Inovação Digital na América Latina e Caribe (FRIDA) e em novembro de 2014 obtivemos R$ 28.500 junto ao edital CNPq Universal para projeto de três anos. São recursos que avalizam o projeto e auxiliam sua sustentabilidade. Também cabe destacar a intensão produção científica gerada no projeto bem como suas parcerias.

Mercado ou Setor: Quais projetos ou organizações estão solucionando o mesmo problema que você e como essas propostas diferem da sua?

Nosso projeto aborda desde o desenvolvimento da tecnologia para ser disponibilizado de forma livre no RExLab - Lab. de experimentação Remota, ]á capacitação docente com foco no modelo TPACK, e ainda busca uma integração da tecnologia nos níveis educacionais fundamental e médio como forma de aumentar o interesse de jovens pelas áreas STEM ao chegarem ao Ensino Superior. Diante disso não temos conhecimento de projeto semelhante visto que todos aqueles que encontramos se dedica a apenas um dos eixos deste: ou desenvolvem, ou capacitam, mas não apresentam uma proposta tão abrangente.
Equipe

História de fundação

O RExLab surgiu em 1997 na UFSC, época em que o Brasil contava apenas com conexões discadas de 14.400 Kb, mesmo assim já buscávamos ampliar a capacidade humana para além de seus limites, utilizando os recursos da Internet e de outros meios tecnológicos capazes de prover acesso remoto. Mesmo com os percalços tecnológicos da época iniciamos o projeto sob a filosofia de disseminar nossas pesquisas e experimentos de forma livre para a educação, atendendo a necessidade de apropriação social da ciência e da tecnologia, popularizando conhecimentos científicos e tecnológicos, estimulando os jovens a inserirem-se nas carreiras STEM. A partir deste conceito o RExLab conta atualmente com uma rede de 12 Universidades em 5 diferentes países.

Equipe

Akássio M. Silva. Bolsa. Andreia Pancera Scheneider. Bolsa. João Bosco da M. Alves. Pesq. Dr. João Paulo C. de Lima. Bolsa. José P. S. Simão. Bolsa. Juarez Bento da Silva. Dr. Coord. Marina R. Daros: Bolsa. Marta A. da S. Cristiano. Pesq. Doutoranda em Engª e Gestão do Conh. Priscila Nicolete Roderval Marcelino. Pesq. Tiago Januário Carvalho. Bolsa. Simone M. S. Bilessimo. Pesq. Drª. Willian Rochadel. Serv. Téc. Adm. em Educ.
Sobre Você
Organização:
Universidade Federal de Santa Catarina
Sobre Você
Nome

Juarez

Sobrenome

Bento da Silva

Sobre o seu projeto
Nome da Organização

Universidade Federal de Santa Catarina

Há quanto tempo sua organização está em operação?

Selecione todas as opções válidas

As informações que você fornecer aqui serão usadas para preencher todas as partes do seu perfil deixadas em branco, como interesses, informação da organização e website. Nenhuma informação do contato será tornada pública. Por favor, desmarque aqui se você não deseja que isso aconteça..

Projeto
País da organização

, SC, Araranguá

Países onde este projeto vem gerando impacto social

, SC, Araranguá

Que prêmios o projeto já recebeu?
Funding: How is your project financial supported?

Doações individuais, Fundações.

Suplementar
PRÊMIOS: Quais prêmios e honrarias esse projeto já recebeu?

Em 2011 o projeto “Utilização da experimentação remota como suporte a ambiente de ensino-aprendizagem na rede pública de ensino”, foi selecionado como um dos quatro projetos mais inovadores na educação brasileira. A seleção foi realizada pelo Instituto para o Desenvolvimento e a Inovação Educativa (IDIE) da Organização dos Estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI) e patrocinado pela Fundação Telefônica.
Em 2012 o subprojeto RExMobile ficou em segundo lugar no programa Campus Mobile do Instituto Claro.

IDADE DOS PARTICIPANTES (público-alvo).

6 – 12 anos, 13 – 17 anos, 18 – 35 anos, 35+ anos.

Qual o seu papel na educação?

Professor

Especifique:
Por favor, especifique qual das opções abaixo melhor se aplica:

Outro

Tipo de escola à qual a sua solução está associada:

Pública

Quais problemas de acesso à educação você está resolvendo em seu projeto?

Integração de alunos em sala de aula, Influência em políticas públicas, Ampliação do acesso à informação, Outro.

Especifique:

Integração de tecnologias na educação; capacitação de docentes; práticas utilizando laboratórios remotos e d.móveis.

Quais tecnologias da informação e da comunicação você está usando para diminuir as distâncias na educação?

Aplicativos de celular, Software de computador - livre, Vídeo online, Vídeo offline, Áudio online, Áudio offline, Cursos à distância, Comunidades online, Outro.

Especifique:

Experimentação Remota, mundos virtuais 3D

Quais grupos ou pessoas você está abordando em seu projeto?

Alunos, Pais, Educadores, Comunidade.

Especifique:
Explique em detalhes de que maneira você está utilizando as Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs) para melhorar o acesso à educação de jovens entre 6 e 20 anos.

O projeto trata de desenvolvimento de estratégia metodológica para a integração tecnologia no ensino de disciplinas STEM na Educação Básica da rede pública. Para consecução dos objetivos está estruturado em dois eixos: um formativo que visa a capacitação dos docentes em relação às tecnologias e outro de integração das tecnologias nas atividades didáticas.

O eixo formativo contempla diagnóstico e capacitação dos docentes em relação a integração de tecnologia nos processos de ensino e de aprendizagem. Já a integração da tecnologia nas atividades didáticas inclui a elaboração de planos de aulas que integrem tecnologia, conteúdos didáticos abertos, experimentação remota, utilização de dispositivos móveis, tudo, baseado em sistema de gestão de aprendizagem open source e plataformas de hardware abertas.

Metodologicamente as atividades a serem desenvolvidas foram agrupadas em 5 linhas estratégicas: Relacionadas aos docentes; Relacionadas aos estudantes; De infraestrutura nas escolas participantes; De infraestrutura e capacidade para provimento dos serviços a serem utilizados no desenvolvimento do projeto, por parte do RExLab e Estratégias de Avaliação.

Descreva uma situação ou história específica em que seu projeto foi utilizado ou aplicado e isso possibilitou que jovens em idade escolar, antes sem acesso, pudessem ter uma educação de qualidade, de forma que isso os permita a ser agentes de transformação. Caso seu projeto não tenha sido aplicado ainda, pense em uma situação em que isso poderia acontecer e descreva o potencial de transformação que você prevê.

A metodologia proposta e a adaptação, integração e utilização da arquitetura proposta foi utilizada durante o ano letivo de 2013 para 6 turmas da disciplina de Física do 2º ano do Ensino Médio da Escola Estadual de Educação Básica Profa. Maria Garcia Pessi, em Araranguá/SC, para cerca de 160 estudantes onde foram implementados Planos de Aulas integrando tecnologia e desenvolvido material didático e experimentos remotos acessados por dispositivos móveis. Este ano o projeto foi ampliado para todos mais turmas e disciplinas da mesma escola e também para outras duas escolas de Ensino Fundamental no mesmo município. Alcançando em torno de 2.700 alunos e 187 docentes.

Quais são suas principais necessidades para aumentar o impacto do seu projeto, neste momento?

Nosso objetivo é validar a metodologia proposta e transformá-la em política educacional em nosso país. Precisamos dar visibilidade ao projeto, a fim de, captar recursos materiais e bolsas de estudos para que possamos transformá-lo em um programa aqui em nossa região e depois no País.

OFERTAS Quais são os recursos ou conhecimentos que você possui neste momento e poderia compartilhar/ensinar para outros participantes do desafio?

Experimentação Remota;
Capacitação de docentes;
Dispositivos móveis;
Mundos virtuais 3D;
Conteúdos digitais abertos;
Tudo o que desenvolvemos (software) e construímos (hardware) está a disposição de quem quiser utilizar.

Comentários

Trata-se de um projeto de aplicação das TICs no ensino médio. Gostaria de entender melhor quais são os aspectos inovadores do projeto? A partir de quais estratégias/abordagens se está promovendo um melhor resultado no desempenho dos estudantes?

Excelente plataforma e adequada com a realidade da Educação Básica no Brasil.

foto de Juarez Bento da Silva

Oi Daisy! Tudo bem? Trata-se de um projeto de integração de tecnologia na Educação Básica. É um projeto que tem suas ações estruturadas sobre dois eixos: um formativo, que visa a capacitação dos docentes em relação a integração de tecnologia em seus planos de aulas e outro que trata da integração propriamente dita. A capacitação é precedida de diagnóstico baseado no modelo TPACK e formalizada através de curso semi presencial de 120h, sendo que a parte presencial versa sobre a disponibilização por parte dos docentes de pelo menos uma de suas disciplinas no AVA que disponibilizamos. Os docentes são auxiliados nesta atividade por bolsistas de IC, de extensão, pesquisadores e demais componentes da equipe do projeto. A integração da tecnologia está baseada no desenvolvimento de planos de aulas construídos a partir de conteúdos digitais abertos que são complementados pela experimentação remota e acessados preferencialmente através de dispositivos móveis. Atualmente desenvolvemos projeto piloto em quatro escolas da rede pública, no extremo sul de Santa Catarina, com aproximadamente 2.700 alunos, 189 docentes (em capacitação) e em torno de 200 disciplinas disponíveis no AVA.Se me enviares um endereço de e-mail válido posso te cadastrar no nosso AVA e terás acesso aos conteúdos didáticos e recursos. O foco principal do projeto é motivar os alunos da Educação Básica, por isso atuamos no Fundamental e no Médio, em relação as disciplinas STEM. Assim, buscamos monitorar o interesse dos estudantes em relação as carreiras STEM através de diagnósticos efetuados ao longo da execução do projeto. Iniciamos este projeto em 2007. Porém, acreditamos que a motivação poderá estar diretamente associada à integração da tecnologia nos planos de aula, daí a necessidade de capacitar e estimular os docentes e também da utilização de recursos, tais como, a experimentação remota e os dispositivos móveis.

Tive dificuldade em compreender a aplicabilidade e o desenvolvimento da ideia proposta. Busquei informações no site e mesmo assim não obtive os esclarecimentos que procurava.

Ótimo trabalho, integrando tecnologia na educação básica.

foto de Juarez Bento da Silva

Olá Tuca! Tudo bem? Em relação a mais informações sobre o projeto penso que deverias te-las solicitado através do contato no site, pois, assim poderia ter enviado documentos e detalhes do projeto. Se me enviares um endereço válido de e-mail posso fazer um cadastro em nosso AVA e disponibilizar acesso aos conteúdos e dados do projeto, pois, desta forma terás uma visão mais abrangente do que estamos fazendo.
De uma maneira breve, basicamente, o projeto que desenvolvemos trata-se de uma iniciativa de integração da tecnologia nos contexto da Educação Básica na rede Pública de Ensino. Para consecução dos objetivos estruturamos as ações do projeto em dois eixos: um formativo que visa a capacitação dos docentes em relação às tecnologias e outro de integração das tecnologias nas atividades didáticas. A capacitação dos docentes, é precedida por diagnóstico baseado no modelo TPACK (Technological Pedagogical Content Knowledge), sendo formalizada através da realização de mini cursos, oficinas e palestras que abordarão temas e estudos de casos referente a integração da tecnologia na educação, atualmente mantemos um curso semipresencial de 120h sobre integração de tecnologia da educação para 187 docentes da rede pública. A integração da tecnologia ocorre através da disponibilização de conteúdos didáticos abertos online, disponibilizados em Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) customizado para o projeto, acessados por dispositivos convencionais ou móveis, que serão complementados pela interação com experimentos remotos.
A ideia básica é ampliar e possibilitar o acesso de alunos e professores às ferramentas de apoio ao ensino e aprendizagem, principalmente nas áreas das disciplinas STEM (ciência, tecnologia, engenharia e matemática), na Educação Básica, proporcionando mais disponibilidade e rapidez, por meio de um ambiente condizente com a realidade discente. A arquitetura em implementação utiliza recursos open source, experimentos remotos desenvolvidos no RExLab a partir de plataforma open hardware de construção própria e também do uso da plataforma Raspberry Pi e conteúdos didáticos abertos.
Esperamos com este de projeto implantar e avaliar de forma mais consistente uma estratégia de integração de tecnologia que objetiva o desenvolvimento de “Planos de Ensino” e “Planos Aulas”, baseados no modelo TPACK, que contemplem a integração curricular das TICs (Tecnologias da Informação e Comunicação) e então compartilhar a experiência e todos os conteúdos didáticos e tecnologia gerada com outras instituições de ensino interessadas em replicar o modelo, a expertise adquirida a partir da execução do projeto.

foto de Marta Adriana da Silva Cristiano

Plataforma completa e gratuita.
Vislumbra todos os aspectos relacionados à inserção da tecnologia na educação, abrangendo todos os atores envolvidos, alunos, docentes, tecnologia, gestão e instituições de ensino desde o ensino básico ao ensino superior, sempre focado em propostas livres, com o compromisso da disseminação e compartilhamento do conhecimento.

foto de Luciano Antonio Costa

Simples e, ao mesmo tempo, de grande impacto para o ambiente educacional.
Essa iniciativa apresenta características que permitem a replicação em qualquer lugar do mundo e pode contribuir muito com o aprendizado de milhares de alunos.

Que ótima ideia! Poder utilizar ferramentas da TIC que já são utilizadas pelos alunos, como os dispositivos móveis, na educação é maravilhoso. Agrega mais valor à educação, atrai a atenção do aluno e ainda o aluno aprende se divertindo. Sem falar que o experimento remoto, pode ser acessado de qualquer lugar do mundo a qualquer momento. A educação estará nas mãos dos interessados a qualquer momento.

foto de Aluísio Cavalcante

Muito bacana a iniciativa e muito próxima dos objetivos que temos na atuação da ONG Casa da Árvore. Gostaria muito de explorar os recursos que estão desenvolvendo e de criarmos parcerias para o desenvolvimento de aplicações de autoria colaborativa multimédia, a partir de uma matriz literária.
Sucesso a todos do RExLab.