Projeto Digital Mente

Congratulations! This Entry has been selected as a winner.

Projeto Digital Mente: Projeto de inclusão digital a pessoas com transtornos mentais leves.

Macatuba, BrazilMacatuba, Brazil
Ano em que foi fundado:
2012
Tipo de organização: 
Governamental
Estágio do Projeto:
Escalando
Resumo do projeto
Pitch de Elevador (Explicação curta e direta)

Resumo conciso: Ajude-nos a lançar esta solução! Forneça uma explicação dentro de 3-4 frases curtas.

O Projeto Digital Mente surgiu da necessidade de promover conhecimentos básicos de informática, melhor qualidade de vida e fortalecimento da autoestima a pessoas com transtornos mentais leves, proporcionando a elas maior interação e inclusão no mundo digital.

E SE... - Inspiração: Escreva uma frase que descreve uma forma que seu projeto se atreve a perguntar: "E SE?"

E se uma pessoa com transtorno mental pudesse usar a informática para o seu tratamento?
SOBRE O PROJETO

Problema: Este projeto busca solucionar qual problema?

A informática, cada vez mais universalizada, ainda não atingiu a todos: existem público alvo específicos de pessoas com baixo uso dos recursos computacionais. Almejando a diminuição do analfabetismo digital e o aumento da inclusão digital este projeto uniu a Informática com a Psicologia para ajudar no tratamento de portadores de transtornos mentais leves ao mesmo tempo em que transmite ensinamentos básicos sobre o uso do computador.

Solução: Qual é a solução proposta? Por favor, seja específico!

Foram firmadas parcerias entre o posto do Acessa SP e o Ambulatório da Saúde Mental, ambos de Macatuba/SP, possibilitando o desenvolvimento de atividades que promovessem o contato e a aproximação de pacientes do ambulatório com o universo da informática. Dessa forma, o projeto apresenta duas importantes vertentes, uma de aspectos técnicos na qual pacientes pré-selecionados do Ambulatório de Saúde Mental experienciam o uso de ferramentas digitais do computador, e outra de caráter terapêutico na qual esses alunos ao entrarem em contato com o universo da informática e com uma socialização assistida participam de um processo de melhora das suas condições de saúde e dos seus desenvolvimentos globais, com estímulos à criatividade.
Impact: How does it Work

Exemplo: Compartilhe um exemplo específico de como essa solução faz a diferença, inclua situações práticas.

Temos o exemplo de um aluno, em tratamento de depressão há dez anos, que no projeto se aperfeiçoou em aulas de violão estudando por meio de vídeos no Youtube; foi tão proveitoso que atualmente mantém uma conta nesse site onde posta vídeos mostrando duas habilidades musicais e de pintura em tela. Ressalta-se que este aluno trabalhou na lavoura durante 20 anos, abandonando esse trabalho após problemas de saúde, momento esse em que entrou em depressão. Depois disso sentia-se incapaz em realizar outras atividades que não fosse o corte de cana. Ao participar das aulas do projeto o aluno elevou sua autoestima e desenvolveu técnicas de música e pintura, conseguindo rendas extras ao seu benefício do INSS. Sua reinserção social foi um sucesso.

Impacto: Qual tem sido o impacto do seu trabalho até hoje? Descreva também o impacto esperado para o futuro do projeto.

Até o momento frequentaram o projeto 15 pacientes do Ambulatório de Saúde Mental de Macatuba, sendo 7 mulheres e 8 homens, todos portadores de transtornos mentais leves, como depressão, ansiedade, fobias e problemas de aprendizagem. Nesse período os benefícios aos alunos foram notórios: diminuição dos sintomas de depressão e ansiedade, aumento significativo da autoestima e potencialidades, perda do medo da informática, utilização dos recursos do computador para geração de rendas, desenvolvimento da capacidade de aprendizagem, elevação da interação social, etc. Além desse, o posto Acessa SP de Macatuba, localizado na Biblioteca Municipal, mantém os projetos “Informática Para a Terceira Idade” e o “Apae Online”. No conjunto, esses projetos aumentaram em 30% a frequência de usuários da biblioteca para utilização dos serviços prestados, além das atividades específicas dos projetos.

Estratégias de Expansão: Avançando o projeto, quais são as principais estratégias para ampliar o seu impacto?

É um projeto de ampla capacidade de multiplicação. Sendo uma iniciativa pouco onerosa para o setor público, se utiliza de recursos já existentes e parcerias entre órgãos, podendo ser replicado em escala regional e gratuita aos alunos. Existem diversos centros de inclusão digital e locais que oferecem tratamento para pacientes com transtornos mentais espalhados pelo Brasil, assim conclui-se que espaços para as atividades práticas e o público-alvo são, na maioria das regiões, existentes e de fácil acesso, sendo o público da Terceira Idade e Portadores de Necessidades Especiais o principal foco.
Sustentabilidade

Plano de Sustentabilidade Financeira: Qual é o plano para garantir a sustentabilidade financeira do projeto?

O “Digital Mente” é um projeto totalmente gratuito aos participantes. É um projeto de parcerias. Ao unir-se órgãos públicos como ambulatórios de saúde mental, postos do Acessa SP (ou outros centros de inclusão digital), Apaes(s) e prefeituras municipais têm-se a estrutura humana e material necessárias para implementar um projeto de inclusão a um público carente de conhecimentos de informática, além dos benefícios à saúde mental dos alunos.

Mercado ou Setor: Quais projetos ou organizações estão solucionando o mesmo problema que você e como essas propostas diferem da sua?

São poucos os projetos que abordam a união entre informática e saúde mental pensando na transmissão de conhecimentos de informática concomitantemente ao auxílio no tratamento de um portador de transtorno mental. Aqui no posto Acessa SP de Macatuba desenvolvemos um projeto semelhante chamado “Apae Online”, diferenciando-se do “Digital Mente” principalmente na maior complexidade dos problemas mentais apresentados pelos alunos. Nesse caso as atividades são bem específicas conforme a capacidade intelectual de cada aluno e as necessidades de socialização que precisam ser desenvolvidas.
Equipe

História de fundação

Acessa São Paulo é o programa de inclusão digital do Governo do Estado de São Paulo, coordenado pela Secretaria de Gestão Pública, com gestão da Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo (Prodesp), por meio da Diretoria de Serviços ao Cidadão. Criado em julho de 2000, o Programa Acessa São Paulo oferece para a população do Estado o acesso às novas tecnologias da informação e comunicação (TIC’s), em especial à internet, contribuindo para o desenvolvimento social, cultural, intelectual e econômico dos cidadãos paulistas. Para atingir seus objetivos, o Programa Acessa São Paulo abre e mantém espaços públicos com computadores para acesso gratuito e livre à internet.

Equipe

Nelson José Barbosa coordenador e orientador responsável do projeto Acessa São Paulo e deste projeto,e Cláudia de Cássia Maganha Vanni Masseran pedagoga do ambulatório de saúde mental. Conforme os pacientes vão tendo sucesso no projeto, serão encaminhados novos pacientes avaliados pela equipe técnica do ambulatório.
Sobre Você
Sobre Você
Nome

Nelson Jose

Sobrenome

Barbosa

Sobre o seu projeto
Nome da Organização
Há quanto tempo sua organização está em operação?

Selecione todas as opções válidas

As informações que você fornecer aqui serão usadas para preencher todas as partes do seu perfil deixadas em branco, como interesses, informação da organização e website. Nenhuma informação do contato será tornada pública. Por favor, desmarque aqui se você não deseja que isso aconteça..

Projeto
País da organização

, SP, Macatuba

Países onde este projeto vem gerando impacto social

, SP, Macatuba

Que prêmios o projeto já recebeu?
Funding: How is your project financial supported?

Governo local/regional.

Suplementar
PRÊMIOS: Quais prêmios e honrarias esse projeto já recebeu?

Menção Honrosa no Prêmio Mario Covas - 2013
Prêmio Acessa SP - 2012

IDADE DOS PARTICIPANTES (público-alvo).

13 – 17 anos, 18 – 35 anos, 35+ anos.

Qual o seu papel na educação?

Monitor

Especifique:
Por favor, especifique qual das opções abaixo melhor se aplica:

Outro

Tipo de escola à qual a sua solução está associada:

Não se aplica

Quais problemas de acesso à educação você está resolvendo em seu projeto?

Inclusão de deficientes físicos, Inclusão de deficientes visuais, Inclusão de deficientes auditivos, Influência em políticas públicas, Ampliação do acesso à informação, Outro.

Especifique:

Inclusão de portadores de transtornos mentais leves

Quais tecnologias da informação e da comunicação você está usando para diminuir as distâncias na educação?

Software de computador - livre, Vídeo online, Comunidades online, Outro.

Especifique:

Internet

Quais grupos ou pessoas você está abordando em seu projeto?

Comunidade.

Especifique:

Pessoas em tratamento de transtornos mentais leves.

Explique em detalhes de que maneira você está utilizando as Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs) para melhorar o acesso à educação de jovens entre 6 e 20 anos.

Para o projeto usam-se oito computadores, sendo seis deles destinados ao uso individual pelos participantes, um para uso do monitor e um servidor, onde são armazenados os softwares. Todos os programas dos computadores são gratuitos e livres e são gerenciados, instalados e avaliados pela Prodesp – Cia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo. Os programas mais utilizados nas aulas são: Navegadores Mozilla Firefox e Opera (para acesso a Internet e pesquisas); Aplicativos do BrOffice (usado para edição de textos, planilhas, editor de desenhos, banco de dados, etc.); Color Paint (usado para edição de imagens e pintura digital); Planilha Eletrônica (para inserção de fórmulas e construção de planilhas de dados); MSN, Facebook e Orkut (utilizados para acesso a redes sociais). Entre as atividades aplicadas citam-se: digitação online, navegação segura, caderno eletrônico, cursos online, posição correta da mão, planilhas eletrônicas, google docs, jogos online e segurança na Internet. A utilização destes softwares possibilita aos alunos, com o mínimo ou nenhuma habilidade em informática, conhecimentos básicos de acesso aos recursos do computador.

Descreva uma situação ou história específica em que seu projeto foi utilizado ou aplicado e isso possibilitou que jovens em idade escolar, antes sem acesso, pudessem ter uma educação de qualidade, de forma que isso os permita a ser agentes de transformação. Caso seu projeto não tenha sido aplicado ainda, pense em uma situação em que isso poderia acontecer e descreva o potencial de transformação que você prevê.

Andreia, em tratamento de depressão e ansiedade, possui computador em casa, mas o pai não a deixava usar por receio que ela, por não saber usar, o quebrasse. Sempre teve vontade de aprender a usar um computador. Sabendo do caso uma equipe formada pelo Nelson (monitor do projeto) e pedagoga Claúdia Masseram do Ambulatório de Saúde mental marcou uma reunião com os pais da paciente-aluna para explicar-lhes sobre o projeto e solicitar autorização para que ela frequentasse o projeto. Hoje, depois de participar das aulas, a aluna já tem o consentimento dos pais para usar o computador da sua casa e recentemente ganhou de presente um tablet, que ela usa para jogos e entrar nas redes sociais para conversar com amigos. Ao ampliar o seu mundo a informática possibilitou a ela entrar em contato com novos conhecimentos, a melhorar o seu processo de ensino-aprendizagem e a perder o medo do computador.

Quais são suas principais necessidades para aumentar o impacto do seu projeto, neste momento?

Ações de disseminação como palestras/reuniões com órgãos e pessoas interessadas; oferta de materiais didáticos adequados (apostilas e livros) para um público com dificuldades de aprendizagem e cursos de capacitação para os monitores/professores focados em melhores práticas de ensino.

OFERTAS Quais são os recursos ou conhecimentos que você possui neste momento e poderia compartilhar/ensinar para outros participantes do desafio?

Sou monitor do Projeto “Digital Mente” há quase três anos. Nesse período adquiri experiências de como abordar o ensino a pessoas com necessidades especiais, dessa forma posso realizar palestras, oficinas ou reuniões para compartilhar as minhas experiências e transmitir maneiras de adequar atividades a um público que possui dificuldades de aprendizagem, como aulas mais dinâmicas, abordagens do ensino focadas em conteúdos cotidianos, atenção individualizada, entre outros. Além disso, posso orientar aos interessados como cadastrar suas iniciativas no banco de projetos mantido pelo Acessa SP.