PROJETO CISC: Empreendedorismo, Qualificação, Esporte, Inclusão Digital e Cultura para a reintegração social

PROJETO CISC: Empreendedorismo, Qualificação, Esporte, Inclusão Digital e Cultura para a reintegração social

Brasil
Tipo de organização: 
Sem fins lucrativos / ONG/ Setor Civil
Orçamento: 
$1 million - $5 million
Resumo do projeto
Pitch de Elevador (Explicação curta e direta)

Resumo conciso: Ajude-nos a lançar esta solução! Forneça uma explicação dentro de 3-4 frases curtas.

O Projeto CISC tem como foco de atuação a implementação de ações nas áreas de empreendedorismo, qualificação profissional, esporte, inclusão digital e cultura com vistas à promoção do desenvolvimento humano. Uma das atividades fins é o encaminhamento direto dos participantes para o mundo do trabalho e a geração de emprego e renda. Busca-se, com isto, incrementar e potencializar as relações com instituições, associações comunitárias e formadores de opinião, bem como integrar e/ou interferir na formulação e implementação de políticas públicas.
A mudança diz respeito a constatação da realidade de um lugar mais humano e igualitário, onde as minorias tenham oportunidades, onde as grupos socialmente discriminadas, como o público para o qual desenvolvemos nossas atividades, sejam incluídos com

SOBRE O PROJETO

Problema: Este projeto busca solucionar qual problema?

O Centro de Integração Social e Cultural – CISC “Uma Chance” é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) sediada Tribobó, São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio de Janeiro e cidade com aproximadamente 1.400.000 habitantes. Tribobó tem uma população estimada em 40 mil moradores e é dividida em vários sub-bairros, áreas onde predominam populações com baixo poder aquisitivo que vivenciam problemas urbanos como a precariedade de abastecimento de água e fornecimento de energia elétrica, transporte público e meio ambiente. Da mesma forma, problemas ligados às áreas de saúde pública, educação, calçamento, saneamento básico e ausência de espaços de cultura e lazer. Institutos de pesquisa formais indicam, ainda, uma presença de cerca 70% de afro descendentes na região. Vale ressaltar que Tribobó é a segunda região, no Estado do Rio de Janeiro, com maior número de egressos. Estes, conforme já mencionado, representando a principal comunidade/público que interage com o Projeto CISC: egressos, apenados, jovens no cumprimento de medidas socioeducativas, familiares e grupos afins. A presente perspectiva é reforçada, ainda, pela participação de grande contingente (70%) de negros, pardos, imigrantes e, cada vez em maior número, de mulheres.

Solução: Qual é a solução proposta? Por favor, seja específico!

A metodologia desenvolvida para minimizar os drásticos efeitos da situação de discriminação e exclusão social e profissional a que estão submetidos os participantes, tais como o alto índice de reincidência criminal brasileiro estimado, segundo o Depen, em 80%. O Projeto CISC surgiu de experiências, necessidades e conhecimentos construídos por internos do sistema prisional. É, portanto, uma iniciativa inovadora no desenvolvimento do protagonismo social e econômico que objetiva romper o ciclo reclusão-liberdade-reincidência através da qualificação e inserção de tais profissionais no mercado de trabalho na busca de sustentabilidade e criação de novas frentes de trabalho. O PROJETO não trabalha apenas a vertente econômica, mas é um elemento que contribui para mudança do quadro social e mostra que com ações sérias e que respondam às reais necessidades e dificuldades deste grupo é possível transformações. Esta contribuição é o que nos leva a entender a importância do projeto e a criação de redes de cooperação. Instituições como o AfroReggae, com o projeto Empregabilidade; o Instituto Nelson Mandela, com acompanhamento e orientações jurídicas, por exemplo, não atuam na perspectiva empreendedora e com a proposta de criação de rede cooperativa entre os participantes. O Projeto CISC busca envolver as famílias com atendimento psicológico, serviço social, pedagogia, inclusão digital, cultura, lazer, esporte e os programas de formação empreendedora e empregabilidade.
Impact: How does it Work

Exemplo: Compartilhe um exemplo específico de como essa solução faz a diferença, inclua situações práticas.

O Projeto atua no desenvolvimento de ações que objetivam promover a plena reintegração social de internos e egressos do sistema penitenciário, bem como jovens no cumprimento de medidas socioeducativas e seus familiares e, consequentemente, na redução da reincidência criminal e atos infracionários. A capacitação de profissionais para o desenvolvimento de atividades no sistema prisional e em unidades de ações socioeducativas também fazem parte das ações que compreendem: Empreendedorismo: estímulo à prática do empreendedorismo inovador para geração de emprego e renda para egressos do Sistema Prisional. Patrocinada pela Petrobras desde 2006, a Incubadora atua na formação gerencial e empreendedora, no acompanhamento e potencialização de pequenos negócios, na capacitação e encaminhamento para o mercado de trabalho e na difusão da metodologia desenvolvida para outros estados brasileiros. Qualificação Profissional: capacitação de jovens no cumprimento de medidas socioeducativas através de oficinas de confeitaria, pintura predial, práticas mercadistas, serralheria, costura e oficina automotiva e tratamento de veículos (sistema de limpeza, higienização e tratamento de veículos, através da franquia Top Spa Car). Além destas, oficinas de qualificação profissional para familiares dos jovens. Esporte: desenvolvimento de práticas esportivas para jovens no cumprimento de medidas socioeducativas através de atividades de dança de salão, futebol americano, campeonatos de futebol, handbol e natação. Inclusão Digital: cursos de informática básico e avançado para a promoção da inclusão social de jovens, egressos e internos do sistema penitenciário, familiares e comunidade. Cultura: potencialização das manifestações culturais locais.
Sobre Você
Organização:
Centro de Integração Social e Cultural – CISC “Uma Chance”
Sobre Você
Nome

Ronaldo Antonio

Sobrenome

Miguel Monteiro

Perfil no Facebook
Sobre Sua Organização
Nome da Organização

Centro de Integração Social e Cultural – CISC “Uma Chance”

País da organização

, RJ

Países onde este projeto vem gerando impacto social
Há quanto tempo sua organização está em operação?

Mais de 5 anos

As informações que você fornecer aqui serão usadas para preencher todas as partes do seu perfil deixadas em branco, como interesses, informação da organização e website. Nenhuma informação do contato será tornada pública. Por favor, desmarque aqui se você não deseja que isso aconteça..

INOVAÇÃO
Em que estágio está seu projeto?

Em execução por mais de 5 anos

Compartilhe a história do(a) fundador(a) e o que o(a) inspirou a iniciar este projeto

Ronaldo Monteiro tem uma trajetória de atuação, por 16 anos, junto ao Terceiro Setor, acrescidos de outros 6 anos na área educacional. Egresso do sistema penitenciário, onde permaneceu por 13 anos, Monteiro, a partir do distanciamento de sua família iniciou o desenvolvimento de ações para crianças em visita a seus familiares. O trabalho se estendeu, ainda, para familiares de internos, através do Projeto Criança, onde eram oferecidas atividades como oficinas de teatro de marionetes e de literatura para crianças em visita a seus familiares presos. Adultos, posteriormente, também participaram das ações empreendidas com o projeto Ressocialização, Conscientização e Cidadania para qualificação profissional. Outras iniciativas, voltadas para o Meio Ambiente e para a Inclusão Digital em parceria com o Comitê para Democratização da Informática (CDI), foram implementadas.
A inspiração para o desenvolvimento dos empreendimentos sociais, com a formalização da instituição CISC em 2002, surgiu inicialmente através da demanda do público participante das ações nas unidades. Depois, a partir do apoio da Petrobras quando, ao convocar um grupo de 16 gestores de projetos de intervenção social espalhados por todo o Brasil, chegou-se à proposta que melhor atendesse às necessidades de homens e mulheres internos e egressos do sistema penitenciário (o projeto Incubadora de Empreendimentos para Egressos), atuando, ainda, como medida preventiva para a reintegração de jovens no cumprimento de medidas socioeducativas. O projeto piloto da Incubadora, cujo foco principal é o empreendedorismo, foi

IMPACTO SOCIAL
Por favor, descreva como o projeto tem sido bem sucedido e como esse sucesso é medido.

O Projeto CISC tem obtido sucesso na aplicação de tecnologia social que, a partir da promoção de soluções inovadoras em desenvolvimento econômico e geração de renda, vem promovendo a consolidação da cidadania e inclusão no mundo do trabalho, e gerando emprego e renda, reduzindo a reincidência criminal (80% no Brasil e 3% entre os participantes diretos) .
As ações se ampliaram: inicialmente eram voltadas à egressos do sistema prisional, familiares e comunidade; depois internos, com o acesso à formação antes da saída do sistema prisional; em seguida, a jovens de medida socioeducativa e familiares. Atualmente, capacitação de profissionais e implementação da metodologia em 10 estados.
As ações têm conferido credibilidade junto ao público, familiares e órgãos públicos. Isto tem possibilitado a execução de atividades em diferentes unidades prisionais e fomentado novos projetos.
O projeto tem sido destaque em espaços midiáticos, implicando na difusão e multiplicação de propostas, nacional e internacionalmente; ao mesmo tempo, despertado maior sensibilização sobre a importância de ações para estes grupos e de políticas públicas.
Fruto disto é a ampliação de parcerias e interlocutores com instituições como a FGV e a Ashoka, dentre outros, e o reconhecimento de órgãos como Secretaria de Administração Penitenciária, Conselho Nacional de Justiça, Defensoria Pública, Vara de Execuções Penais e instituições do 2º e 3º setores. Inicialmente o Projeto CISC alcançava 125 participantes direta e indiretamente, hoje, a iniciativa conta com mais de 8 mil participantes diretos e indiretos. Com a escala já em desenvolvimento, estima-se a marca dos 5 mil ao ano.

Quantas pessoas foram impactadas por seu projeto?

1,001- 10,000

Quantas pessoas poderão ser impactadas por seu projeto nos próximos três anos?

> 10.000

Como seu projeto se expandirá ao longo dos próximos três anos?

Através do treinamento e planejamento institucional para escala realizado junto a Ashoka/Mckinsey e a capacitação para transferência de tecnologia social desenvolvida pela instituição CISC envolvendo hoje 30 multiplicadores que atuam nas áreas de Justiça, Segurança Pública e Educação em regiões como o Distrito Federal e os estados da Bahia, São Paulo, Espírito Santo, Mato Grosso, Minas Gerais, Alagoas e Ceará. A meta principal é atingir o marca de 5 mil participantes diretos/ano.

SUSTENTABILIDADE
Quais são as barreiras que podem dificultar o sucesso de seu projeto e como pretende superá-las?

Fatores políticos, tecnológicos e macroeconômicos como também a ausência de parceiros e patrocinadores antes do prazo de consolidação das empresas sociais podem inviabilizar o planejamento já executado. O remédio seria a redução das ações e custos previstos, aumentando, em contrapartida, o prazo para o alcance das metas.

Por favor, explique de que forma o estabelecimento de parcerias é importante para o sucesso de sua inovação

As parcerias são fundamentais importância por conta da especificidade do público com o qual o projeto interage. Sem a parceria do sistema penitenciário, por exemplo, não teríamos acesso às unidades prisionais. Da mesma forma, o apoio das tecnologias oferecidas pelas redes sociais nos garantindo maior visibilidade e, consequentemente, maior impacto sobre a possibilidade de surgimento de políticas públicas.

Outro exemplo foi o planejamento para a escala que participamos com a Ashoka/Mckinsey que apontou a forma de gestão descentralizada como a melhor alternativa para a ampliação do número de participantes da proposta, reduzindo, assim, os riscos de fracasso.

Contamos hoje com 21 parceiros formalizados e outros 12 em processo de formalização e a experiência nos mostra ser impossível impactar ações cujos atores sejam internos, egressos do sistema penitenciário e jovens no cumprimento de medidas socioeducativas; a não ser com o apoio de parceiros e a disseminação da proposta através da escala.

Detalhe as suas escolhas acima

A sustentabilidade do projeto, que compreende os cinco principais eixos de atuação (empreendedorismo, qualificação profissional, esporte, inclusão social e cultura), é garantida por instituições dos primeiro, segundo e terceiros setores que somam hoje U$ 800mil (do segundo setor/empresas); U$ 460 mil (governo do estado); e U$ 80 mil (governo federal).

De que forma você planeja fortalecer financeiramente seu projeto ao longo dos próximos três anos?

Temos como meta alcançar o número de 10 empresas sociais, todas produzindo, até o final dos 36 meses, garantindo, assim, a sustentabilidade do custo fixo do Projeto CISC. Conforme já mencionado, 100% dos recursos são oriundos de parceiros.

Hoje, temos constituídas sete empresas sociais (sete formalizadas e outras quatro em processo de formalização). Com recursos oriundos das E.S. estima-se que todos os custos fixos operacionais do projeto sejam cobertos. O custo variável será avaliado e administrado de acordo com as ações realizadas.

Desafios
Em quais obstáculos ao emprego e trabalho o seu projeto atua?
Por favor, selecionar até três por ordem de relevância para seu projeto (maior relevância recebe um "1" e a menor, "3").

Primeiro

Ausência de capacitação / formação

SEGUNDO

Normas culturais restritivas

TERCEIRO

Outros (especificar)

Por favor, descreva como a sua inovação aborda especificamente os obstáculos listados acima.

Através do fomento ao empreendedorismo e qualificação profissional dos participantes do projeto, da maciça exposição da mídia e principalmente do desenvolvimento das tecnologias das redes sociais para o fomento de uma cultura social saudável. Vale ressaltar, ainda, os incentivos hoje previstos em lei através do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), através dos quais temos conseguido superar tais obstáculos. A autoestima dos participantes, bem como a responsabilidade social junto a diversos segmento sociais também algumas das abordagens do Projeto CISC.

Como você está aumentando o impacto da sua organização ou iniciativa?
Por favor, selecionar até três possíveis caminhos em ordem de relevância para você (maior relevância receberia "1 " e menor "3").

Primário

Influenciando outras organizações e instituições através da disseminação das melhores práticas

SEGUNDO

TERCEIRO

Outros (especificar)

Por favor, descreva qual ou quais das atividades de seu crescimento estão em curso ou planejadas para o futuro imediato.

Realização de workshops e consultorias
Concluímos a capacitação dos multiplicadores para a disseminação da proposta em oito estados, envolvendo representantes dos primeiro, segundo e terceiro setores (estado, iniciativa privada e organizações do Terceiro Setor). Temos elaborado o projeto piloto adequado para a realidade local de três estados (Mato Grosso, São Paulo e Ceará). Na primeira quinzena de julho, iniciaremos a escala em Campinas/SP. À convite de órgãos governamentais e instituições inicialmente interessados na proposta inclusiva, temos realizado, ainda, workshops e consultorias em diversos estados brasileiros.

Você colabora ou faz parcerias com algum dos abaixo? (marque todas que se aplicam)

Governo, Fornecedores de tecnologia, ONGs / entidades sem fins lucrativos, Empresas, Academia / Universidades.

Se sim, como essas colaborações e parcerias vêm ajudando sua inovação a obter sucesso?

O acesso aos participantes diretos (presos e egressos) só nos é permitido graças à parceria com o governo, pois 60% deles ainda estão sob tutela do estado. A tecnologia social que hoje estamos transferindo para multiplicadores de oito estados nos foi transferida por interventores sociais, gestores dos primeiro e terceiro setores como Giovani Harvey (Incubadora Afro Brasileira/Instituto Palmares de Direitos Humanos) e Tião Rocha, dentre outros; o que nos permitiu o aprimoramento do que hoje temos realizado.
As organizações do Terceiro Setor, através das redes que hoje participam, cobrem as demandas que necessitamos para a eficácia e impacto (sucesso) do projeto, como por exemplo, centros de recuperação, abrigos e instituições de apoio à qualificação e certificação dos participantes.

randomness