De “catadores de lixo” a micro-empresários

Escrito por Lorena López

Tudo começou com a criação de um sistema de micro-empresas responsável pela coleta e tratamento de resíduos urbanos visando cidades mais limpas e saudáveis no Peru. O maior êxito imediato foi a dignidade dada ao trabalho dos catadores de resíduos sólidos que passaram a pertencer a um sistema de emprego formal, digno e com acesso a contribuições sociais e aposentadoria. Albina Ruiz, fundadora da Ciudadsaludable.org, fala sobre sua experiência como empreendedora e as conquistas alcançadas que refletem em uma melhoria na vida das pessoas.

Qual é o seu superpoder?
Acredito no que eu faço. Amo meu trabalho. Já me ofereceram outras posições com mais dinheiro e sempre digo que não porque eu sou feliz fazendo isso.

Qual superpoder você gostaria de ter?
A capacidade de fazer desaparecer a corrupção em todo o mundo. Estou convencida de que sem corrupção haveria menos pobreza.

Conte-nos de que forma o trabalho que você está fazendo gera mudanças na vida das mulheres nos âmbitos pessoal, familiar e na sociedade.
Em uma ocasião, fizemos uma campanha com 59 mulheres para participar deste projeto...e apareceram 700! Algumas já estavam trabalhavam com o resíduos sólidos e outras em tarefas variadas e informais. Naquele primeiro dia perguntamos a elas como se sentiam sobre suas vidas e a resposta generalizada foi “muito mal” e elas nem nos olhavam nos olhos porque sentiam vergonha de sua situação.

Um ano depois fizemos a mesma pergunta e as respostas foram: "Eu sou uma mulher empreendedora”, "Sou empresária", “Sou feliz ", "Sinto que sou uma boa mãe". E elas não só nos olhavam na cara, mas também se abraçavam e sorriam.

O que acontece é que essa mudança dignifica também no âmbito familiar porque quando perguntamos aos filhos em que sua mãe trabalha, eles respondem: "Ela é micro-empresária".

Qual é o papel da colaboração entre empreendedores sociais? Há colaboração?
Colaboração é a chave. Quando vamos a outro país sempre buscamos um empreendedor local porque temos a mesma base ética e de valores. Além disso, o tempo de replicação é menor e os resultados são melhores. Temos que manter a mente aberta e nunca deixar de aprender, pois o outro sempre traz um olhar diferente e, por isso, cada vez que é replicado, o modelo vai melhorando.

Quais são as barreiras para alcançar colaboração e como superá-las? Que tipo de impacto colaborações de maior magnitude teriam na transformação de sistemas e setores?
Estamos em um mundo onde as pessoas foram enganadas muitas vezes, assim sempre desconfiam. Por isso, leva algum tempo para ganhar essa confiança. Há todo um processo para que as pessoas acreditem em você e apropiem-se de uma proposta.

É essencial ser transparente e isso inclui não calar-se nem dizer coisas bonitas quando isso não vai ajudar no crescimento: é necessário ter a capacidade e ousadia para dizer as coisas, porque às vezes nos tornamos cúmplices com nosso silêncio.

Qual conselho você daria para outras mulheres que querem inovar e gerar mudança social?
Para persistirem! Que se uma porta se fecha, que procurem outras três mais. Que vão dormir pensando no que vão fazer no dia seguinte, que escrevam. É mentira que não há saída, há caminhos mais lentos. Mas se a gente está no caminho correto e fazendo o que acreditamos, temos que seguir em frente.

Albina Ruiz Rios, diretora executiva da Ciudad Saludable e empreendedora social no Peru, é especialista em questões ambientais e de manejo de resíduos sólidos.

Changemakers Taxonomy: