“As palavras mágicas são inovação e replicabilidade”

O valor de se trabalhar com organizações como a National Geographic e a Ashoka e a importância de se ser inovador no sentido de se propor soluções abrangentes. Santiago Soler, responsável pela Agenda "Soluções FOMIN para o Ecossistema Setorial de Turismo Sustentável", comenta sobre a experiência com o Changemakers.

 

“Estar associado à National Geographic significa nos relacionarmos com o setor de turismo em um marco de grande credibilidade enquanto que o trabalho com a Ashoka, uma organização reconhecida por sua atuação em empreendorismo social, nos brinda com a possibilidade de democratizar o acesso ao nosso financiamento, o que abre o jogo e permite que mais pessoas possam concretizar seus projetos", resume Santiago Soler.

 

 

 Ao mesmo tempo, Santiago conta que na última convocatória do Changemakers (é o segundo ano em que o BID/Fomin participa desta iniciativa) foi possível realizar um trabalho muito útil para o setor: uma análise dos temas mais discutidos e das problemáticas que mais se sobressaíram dentro dos projetos apresentados. Qual o benefício? Foi possível determinar uma tendência de quais são as necessidades atuais do setor turístico.

 

Em relação a essa tendência foram identificadas 5 áreas chave, que estão vinculadas à tecnologia, ao acesso a mercados e a financiamento; à inclusão social de jovens através da educação; ao planejamento de territórios e destinos turísticos; à incorporação de comunidades locais nos projetos e às mudanças climáticas e energia renovável.

 

“Os projetos que se enquadram dentro do geoturismo - que propõem um olhar sustentável e um sentido de pertença e identidade em relação a um território - apontam para um turista que quer apreciar as riquezas socioculturais de uma região, consciente de que é necessário respeitar a natureza, e a quem interessa saber o que está consumindo", descreve Santiago. “São turistas independentes - sejam viajantes individuais ou famílias - no sentido de que não buscam comprar um pacote pré-definido, mas sim preferem organizar seus próprios itinerários”.

 

Uma das características que se valorizam dentro dos projetos que se apresentam ao Changemakers é que sejam inovadores. Bem, dentro deste contexto, o que uma proposta deve ter para ser inovadora?

 

Segundo Santiago, trata-se de propor ideias e produtos que, até o momento, não tenham sido oferecidos ao setor: “Para nós, inovador quer dizer propor soluções que transcendam uma situação pontual, soluções que se possam ´traduzir´ a toda uma região. Talvez seja ambicioso, mas por isso decidimos que as ´palavras mágicas´ são inovação, replicabilidade e que aportem valor e conhecimento”.

Lorena López

 

randomness